Portugueses marcham contra orçamento que prevê austeridade em 2014

domingo, 20 de outubro de 2013 17:02 BRST
 

LISBOA, 19 Out (Reuters) - Milhares de portugueses protestaram neste sábado contra novos cortes de pensões e salários previstos no orçamento do país para 2014 e exigiram a renúncia do governo.

Os manifestantes querem que o Tribunal Constitucional de Portugal rejeite o projeto de lei para o orçamento de 2014, que inclui cortes necessários para cumprir os termos do resgate internacional ao país.

O governo de centro-direita espera que o orçamento, publicado no início desta semana, ajude o país a sair do resgate União Europeia/FMI e viabilize seu retorno aos mercados de títulos de dívida.

No entanto, tais objetivos podem ser prejudicados pelo Tribunal Constitucional, que tem o poder de bloquear importantes cortes de gastos, especialmente aqueles relacionados aos cortes de salários e pensões no setor público.

O tribunal já rejeitou parte das medidas de austeridade do governo no último ano e meio, forçando as autoridades a encontrar alternativas. Manifestantes no sábado pediam que o presidente conservador Anibal Cavaco Silva rejeite o projeto de lei e o envie ao tribunal para ser derrubado.

Outra manifestação com milhares de participantes ocorreu no Porto, segunda maior cidade de Portugal.

(Reportagem de Andrei Khalip)

 
Milhares de portugueses protestaram neste sábado contra novos cortes de pensões e salários previstos no orçamento do país para 2014 e exigiram a renúncia do governo, em Lisboa. 19/10/2013 REUTERS/Rafael Marchante