Petrobras pagará bilhões de reais por área que já foi sua e da Shell

segunda-feira, 21 de outubro de 2013 21:42 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

A Petrobras terá de desembolsar no leilão desta segunda-feira pelo menos 4,5 bilhões de reais em bônus de assinatura por uma área que já lhe pertenceu.

Limitações na exploração do bloco BS-4, na Bacia de Santos, levaram a anglo-holandesa Shell, a Petrobras e a norte-americana Chevron a devolver uma área onde nove anos mais tarde, sob a camada de sal, foi descoberto o gigante prospecto de Libra, afirmaram à Reuters fontes com conhecimento direto do assunto.

O poço 1-SHELL-5-RJS, fechado e abandonado, está dentro dos limites da área que será licitada pelo governo, mostra relatório sobre Libra elaborado pela consultoria norte-americana IHS Cera, que abriga o maior banco de dados de petróleo no mundo.

Sob operação da Shell, o poço foi perfurado em 2001 muito próximo ao poço da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) que nove anos mais tarde descobriria Libra.

O governo separou Libra, a maior descoberta já realizada no Brasil, com volume de óleo recuperável entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris, para licitar nesta primeira rodada do pré-sal, que estreia o regime de partilha da produção no país. O leilão está marcado para a tarde desta segunda-feira, no Rio de Janeiro.

O relatório da IHS Cera obtido pela Reuters aponta que o poço da Shell atingiu uma profundidade total de quase 4 mil metros, enquanto o poço descobridor de Libra, anos depois, chegou à profundidade de 6 mil metros.

Uma fonte com conhecimento direto do assunto disse à Reuters que a Shell não atingiu o objetivo de profundidade que seria necessário no BS-4 porque usou equipamento que teria sido inadequado. Este seria o argumento de alguns executivos da estatal brasileira contra eventuais negociações entre a Petrobras e a Shell para formar um consórcio no leilão desta segunda.

"Foi um descuido que vai custar caro à Petrobras", disse essa fonte, sob condição de anonimato.   Continuação...

 
Manifestantes avançam sobre barreira de segurança antes de entrar em confronto com soldados da Força Nacional no bairro da Barra da Tijuca, onde ocorre o leilão de petróleo da área de Libra, no Rio de Janeiro. A Petrobras terá de desembolsar no leilão desta segunda-feira pelo menos 4,5 bilhões de reais em bônus de assinatura por uma área que já lhe pertenceu. 21/10/2013. REUTERS/Ricardo Moraes