China cobra mais esforços por reformas na economia

segunda-feira, 21 de outubro de 2013 10:18 BRST
 

PEQUIM, 21 Out (Reuters) - O Conselho Estatal da China cobrou um maior esforço na reformulação da economia porque a recuperação ainda não é sólida, através de um avanço mais rápido na reestruturação da indústria e do aumento do consumo enquanto se defende contra riscos e protege a subsistência da população.

Em comunicado divulgado no domingo após uma reunião na sexta-feira, o Conselho reiterou que a China poderia alcançar seus objetivos econômicos para este ano, incluindo um crescimento de 7,5 por cento, apesar de a situação nacional e internacional seguir complexa.

O Conselho disse que modernizou a administração, tomou medidas para liberalizar as taxas de juros e facilitar o comércio e o investimento na segunda maior economia do mundo.

Também indicou que adotou as ações sem elevar o déficit público ou alterando a política monetária. E pediu que as autoridades de todos os níveis acelerem mudanças no modo de trabalho para garantir que a reforma não retroceda por inércia oficial.

"Quando a economia se encontra sob pressão de baixa devemos fortalecer a nossa confiança. E quando se encontra estável e em uma tendência de melhora, também devemos manter a mente clara", afirmou o Conselho.

A economia chinesa de 8,5 trilhões de dólares cresceu ao ritmo mais rápido neste ano entre julho e setembro. A recuperação foi alimentada em grande parte pelo investimento, apesar de haver sinais de que a aceleração na atividade pode perder vigor.

(Reportagem de Jonathan Standing)