Brasil se prepara para grande leilão de petróleo com forte segurança

segunda-feira, 21 de outubro de 2013 15:06 BRST
 

Por Jeb Blount

RIO DE JANEIRO, 21 Out (Reuters) - O Brasil está pronto para vender nesta segunda-feira os direitos de produção de sua maior descoberta de petróleo, em um leilão que provocou protestos nacionalistas, mesmo que a maioria das grandes petroleiras estrangeiras tenha optado por ficar fora da disputa.

O governo mobilizou mais de mil soldados para cercar o hotel no Rio de Janeiro onde vai acontecer o leilão, isolando ruas para impedir manifestantes de interromper um evento que a presidente Dilma Rousseff tem anunciado como um coroamento de um plano de energia que visa acabar com a pobreza e alçar o Brasil ao status de país desenvolvido.

Em disputa estão os direitos de produção para a área de Libra, uma enorme reserva que contém entre 8 bilhões e 12 bilhões de barris de óleo recuperável, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e com base em dados da empresa de certificação DeGolyer & MacNaughton.

O Brasil estima que vai receber pelo menos 400 bilhões de dólares em taxas e outras receitas de Libra durante os mais de 30 anos de concessão, bem como iniciais 15 bilhões de reais em bônus pela concessão dos direitos de exploração.

O leilão será o primeiro sob o regime de partilha do pré-sal, que amplia o controle estatal sobre reservas de óleo estimadas em bilhões de barris. Sob a nova lei, a estatal Petrobras obrigatoriamente vai liderar o desenvolvimento dos campos como operadora.

Dilma, que ajudou a montar o marco regulatório quando foi ministra de Minas e Energia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, espera que a arrecadação com Libra e outras áreas do pré-sal possa financiar a construção de escolas e hospitais e outros serviços sociais necessários em um país conhecido por sua renda desigual.

"Libra e o pré-sal vão transformar a nossa economia como óleo de xisto e gás estão transformando a economia dos Estados Unidos", disse à Reuters no domingo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, quando chegou ao hotel fortemente protegido em que o leilão vai ocorrer.

"Isso está abrindo um novo capítulo na nossa história", acrescentou o ministro.   Continuação...

 
Soldados da Força Nacional de Segurança Pública são vistos durante confronto com manifestantes no Rio de Janeiro. O Brasil está pronto para vender nesta segunda-feira os direitos de produção de sua maior descoberta de petróleo, em um leilão que provocou protestos nacionalistas, mesmo que a maioria das grandes petroleiras estrangeiras tenha optado por ficar fora da disputa. 21/10/2013 REUTERS/Sergio Moraes