Ações asiáticas perdem força antes de dados de emprego dos EUA; Nikkei avança

terça-feira, 22 de outubro de 2013 08:16 BRST
 

Por Dominic Lau

TÓQUIO, 22 Out (Reuters) - As ações asiáticas se afastaram das máximas de cinco meses, com os mercados atentos à divulgação dos dados de emprego dos Estados Unidos, que podem decidir se o Federal Reserve, banco central norte-americano, começará a frear o estímulo monetário neste ano.

Investidores relutaram em fazer apostas agressivas depois que as ações norte-americanas fecharam com poucas variações em parte por preocupações de que as ações estavam com sobrepreço depois que o índice S&P 500 atingiu máxima recorde na semana passada.

Às 7h56 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,04 por cento, se afastando da máxima de cinco meses. Gráficos sugerem que o indicador está em território "sobrecomprado", o que sugere espaço para queda mais acentuada.

O índice japonês Nikkei avançou 0,13 por cento em pregão bastante volátil e com pouco volume antes da divulgação dos dados de mercado de trabalho dos EUA.

Já o australiano S&P/ASX 200 subiu 0,4 por cento para máxima em cinco anos pelo terceiro dia seguido, e registrou o sexto dia de ganhos, a alta mais longa desde julho.

Analistas consultados pela Reuters esperam que as vagas de emprego fora do setor agrícola nos EUA tenham aumentado em 180 mil em setembro, com a taxa de desemprego inalterada em 7,3 por cento. O dado será divulgado nesta terça-feira às 10h30 (horário de Brasília).

Muitos analistas esperam que o Fed mantenha o programa de compra de títulos, dado o impacto ainda desconhecido da paralisação do governo e a possibilidade de outra disputa orçamentária severa no início do próximo ano.

As ações chinesas fecharam em queda puxada pelo desempenho de papéis do setor imobiliário após dados indicarem rápido aumento nos preços de imóveis residenciais, o que deixou investidores temerosos de que novas restrições de crédito possam ser impostas no setor.