CEO do Netflix diz estar esperançoso por acordo com Comcast e outras

terça-feira, 22 de outubro de 2013 12:47 BRST
 

LOS ANGELES, 22 Out (Reuters) - O presidente-executivo do Netflix, Reed Hastings, disse na segunda-feira que esta esperançoso que sua empresa chegasse a um acordo com a Comcast e outras provedoras de TV a cabo para oferecer seus serviços de transmissão de filmes e conteúdo de TV através de decodificadores das companhias.

"Estou realmente esperançoso de que poderemos fazer isso com a Comcast e outras no setor", disse Hastings a analistas em uma webconferência em vídeo após a divulgação dos resultados trimestrais do Netflix.

Um porta-voz da Comcast não fez comentários sobre a fala de Hastings.

O Netflix anunciou em setembro que seria uma opção aos decodificadores da TiVo, oferecidos através dos serviços de TV paga Com Hem, na Suécia, e Virgin Media, na Grã-Bretanha, permitindo que os assinantes assistissem aos programas e filmes através de um aplicativo, sem precisar trocar para outro dispositivo.

Em uma entrevista à Reuters, Hastings disse que desejava chegar a acordos parecidos com operadoras de TV a cabo nos Estados Unidos no ano que vem. As empresas têm desconfiado da concorrência em potencial do Netflix e de outros novatos do Vale do Silício.

Hastings afirmou que acreditava que as operadoras de TV a cabo dos EUA ficarão observando para ver se adição do Netflix irá ajudar a Virgin, de propriedade do Liberty Group, a atrair novos assinantes.

"Eu acho que a Virgin estava disposta a apostar em seu instinto de que eles deveriam dar foco a uma experiência melhor", disse Hastings. "Se isso funcionar, e eles crescerem, então eles ficarão muito felizes. E eu acho que as outras empresas vão seguir (o exemplo)".

(Por Lisa Richwine)

 
O presidente-executivo do Netflix, Reed Hastings, fala durante uma entrevista com a Reuters em Buenos Aires, Argentina. Hastings, disse na segunda-feira que esta esperançoso que sua empresa chegasse a um acordo com a Comcast e outras provedoras de TV a cabo para oferecer seus serviços de transmissão de filmes e conteúdo de TV através de decodificadores das companhias. 7/9/2011. REUTERS/Enrique Marcarian