Política monetária deve se manter vigilante para mitigar riscos--Tombini

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 11:01 BRST
 

SÃO PAULO, 23 Out (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta quarta-feira, em Cingapura, que a política monetária deve se manter especialmente vigilante, de modo a mitigar riscos à frente e contribuir para o declínio da inflação.

O presidente do BC apresentou um panorama sobre a economia brasileira e oportunidades de investimentos para mais de 70 investidores em Cingapura. O comunicado foi distribuído pela assessoria de imprensa.

O BC elevou neste mês a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual a 9,5 por cento ao ano, e indicou que deve manter o ritmo de aperto monetário para combater os preços elevados.

A prévia da inflação oficial de outubro mostrou aceleração para 0,48 por cento, acima do esperado e pressionado por preços de alimentos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) em 12 meses, no entanto, se afastou um pouco mais do patamar de 6 por cento.

Segundo a assessoria, Tombini afirmou que o crescimento da economia brasileira tem se materializado de forma gradual, destacando o desempenho da produção de bens de capital, ligados ao investimento. E acrescentou que o fortalecimento da confiança das empresas e das famílias, que mostra recuperação no período mais recente, também favorece a trajetória econômica.

No evento, Tombini ressaltou ser bem sucedido o programa de leilões de swap cambial e de venda de dólares com compromisso de recompra. Para ele, as intervenções contribuíram para conferir previsibilidade na oferta de proteção cambial aos agentes econômicos durante o período atual de transição na economia internacional.

(Por Eric Sukys; Edição de Tiago Pariz)

 
Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, após reunião com ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do G20, em Washington, 11 de outbro de 2013. Tombini afirmou nesta quarta-feira, em Cingapura, que a política monetária deve se manter especialmente vigilante, de modo a mitigar riscos à frente e contribuir para o declínio da inflação. 11/10/2013 REUTERS/Jonathan Ernst