Caterpillar tem lucro menor que o esperado e corta previsões

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 11:32 BRST
 

CHICAGO, 23 Out (Reuters) - A Caterpillar anunciou nesta quarta-feira lucro trimestral menor que o esperado e cortou sua previsão para o ano novamente, com fraca demanda de clientes de mineração prejudicando a fabricante de equipamentos pesados.

A empresa também forneceu sua primeira expectativa de vendas para 2014, dizendo que espera receita essencialmente estável ou em alta ou queda de 5 por cento ante 2013.

A Caterpillar teve lucro de 946 milhões de dólares no terceiro trimestre, ou 1,45 dólar por ação, ante 1,7 bilhão de dólares, ou 2,54 dólares por ação, um ano antes.

Analistas esperavam que a empresa anunciasse lucro de 1,66 dólar por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas totais e receita caíram 18 por cento, para 13,4 bilhões de dólares.

A categoria de equipamentos de mineração é a mais lucrativa da empresa, mas as vendas têm sido prejudicadas nos trimestres recentes porque as mineradoras, enfrentando problemas de orçamento e a queda dos preços dos metais, reduziram os gastos de capital e desaceleraram o desenvolvimento de alguns projetos, engavetando outros completamente.

A Caterpillar afirmou nesta quarta-feira que "infelizmente, as taxas de encomendas ainda não se recuperaram muito", apesar de um aumento recente na produção de minérios.

Em resposta, a Caterpillar disse que paralisou temporariamente algumas unidades, deu licença a milhares de funcionários e cortou 3.000 postos de sua força de trabalho durante o terceiro trimestre. No último ano, a empresa cortou 13 mil empregos, cerca de 10 por cento do total global.

Sem esperar recuperação nas encomendas, a Caterpillar disse que espera agora um lucro em 2013 de 5,50 dólares por ação sobre vendas de cerca de 55 bilhões de dólares, ante expectativa anterior de 6,50 dólares por ação sobre vendas de 56 a 58 bilhões de dólares.

O cenário revisado para as vendas é quase 11 bilhões de dólares menor que o registrado pela empresa no ano passado.

(Por James B. Kelleher)