Escândalo de suborno reduz vendas de medicamentos da GSK na China

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 11:54 BRST
 

Por Ben Hirschler

LONDRES, 23 Out (Reuters) - As vendas de medicamentos da GlaxoSmithKline na China despencaram 61 por cento no terceiro trimestre, atingidas por um escândalo de subornos que atrapalhou sua capacidade de comercializar produtos no país e empurrou vendas para as suas concorrentes.

A queda nas vendas chinesas foi maior do que muitos analistas esperavam e o presidente-executivo, Andrew Witty, disse a repórteres que era cedo demais para dizer quando haveria uma recuperação. Ele reiterou, porém, que não havia "absolutamente nenhuma possibilidade" de a GSK sair da China.

"Estamos completamente comprometidos com a China", ele disse em uma teleconferência na quarta-feira.

Embora a fabricante de remédios britânica gere menos de 4 por cento de suas vendas na China, a empresa vê este mercado como vital para o futuro e tem cerca de 7.000 funcionários no país, além de cinco fábricas e um centro de pesquisas.

As vendas da GSK no mundo ficaram estáveis em 6,51 bilhões de libras (10,6 bilhões de dólares) no trimestre, gerando lucro por ação de 28,9 libras, 10 por cento a mais do que no ano anterior.