Natura tem queda no lucro, mas aumenta vendas no Brasil no 3º tri

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 21:17 BRST
 

SÃO PAULO, 23 Out (Reuters) - A Natura teve lucro menor que o esperado no terceiro trimestre, pressionada por um ajuste não contábil relacionado à sua dívida, mas viu o ritmo de vendas acelerar no Brasil após elevar os investimentos em marketing.

Entre julho e setembro, a companhia de cosméticos teve recuo de 22,6 por cento no lucro líquido ante igual etapa do ano passado, para 183,7 milhões de reais, afetada pela marcação a mercado de derivativos atrelados à dívida em moeda estrangeira.

Excluído o impacto, que não tem efeito caixa, o lucro líquido teria subido 4,5 por cento, disse a companhia, situação em que a cifra superaria a estimativa média de 227,1 milhões de reais apontada por analistas em pesquisa da Reuters.

No trimestre, a receita líquida da empresa cresceu 12 por cento sobre o mesmo período do ano passado, para 1,777 bilhão de reais.

Responsáveis pela maior parte do resultado da companhia, as vendas no Brasil subiram 5,4 por cento, para 1,46 bilhão de reais. O ritmo de crescimento ficou acima do primeiro semestre, quando houve um tímido aumento de 1,6 por cento na receita líquida obtida no país.

A melhora se deu após a intensificação de investimentos em marketing, com a receita incremental da nova linha SOU e com a estratégia de ciclo de vendas do Dia dos Pais, disse a Natura.

A administração está "confiante" que essas ações vão elevar a participação de mercado da empresa, ressalvando não dispor de dados mais recentes, disse o vice-presidente de Finanças, Relações com Investidores e Jurídico da companhia, Roberto Pedote, em conferência com jornalistas nesta quarta-feira.

No primeiro semestre, a Natura perdeu 1,8 ponto percentual de participação de mercado, período em que o mercado de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos cresceu cerca de 10 por cento.

Se por um lado, as despesas com marketing e promoções ajudaram a companhia a aumentar as vendas no país, por outro, elas fizeram o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subir 0,5 por cento no Brasil, em ritmo inferior ao da receita no Brasil.   Continuação...