Santander Brasil prevê crescimento maior do crédito em 2014

quinta-feira, 24 de outubro de 2013 12:04 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Santander Brasil prevê um crescimento do crédito "um pouco" acima do registrado neste ano em 2014 e o spread deve se manter estável, na avaliação do presidente do banco no país, Jesús Zabalza.

No final de setembro, o banco registrava alta de 11 por cento na carteira de crédito ampliada na comparação anual. Segundo o executivo, as novas safras de crédito que estão entrando no banco têm melhor qualidade do que o registrado nos trimestre anteriores, e por isso existe espaço para maior recuo na inadimplência.

No terceiro trimestre, a inadimplência acima de 90 dias foi de 4,5 por cento, ante 5,1 por cento no mesmo intervalo do ano passado. "A nossa inadimplência está convergindo com o nível dos concorrentes privados", afirmou Zabalza em entrevista com jornalistas na sede do banco no Brasil, nesta quinta-feira.

Além da maior seletividade na concessão do crédito, uma política agressiva de recuperação de crédito com empresas e pessoas físicas está ajudando os resultados do banco, segundo o executivo.

Mesmo com a expectativa de que os bancos públicos sejam um pouco menos agressivos em 2014, Zabalza não vê espaço para aumento do spread, a diferença entre o custo do dinheiro para um banco e o que ele cobra pelos empréstimos. "Não esperamos grandes crescimentos do spread bruto no país, e também não espero queda", afirmou.

Como parte do esforço para melhorar a qualidade dos seus ativos, o Santander pretende aumentar a participação de créditos com garantias no seu portfolio, como o crédito consignado e o imobiliário, mas pretende crescer também em outras áreas, como o crédito agrícola e para financiamento de veículos, disse o presidente.

No segmento corporativo, a demanda por crédito de empresas medias está tímida atualmente, mas deve haver uma retomada nos próximos meses, de acordo com Zabalza. Segundo ele, as pequenas empresas tiveram alta de 20 por cento na demanda do terceiro trimestre, mas o mesmo não ocorreu com as médias. Para grandes empresas, a perspectiva é positiva devido aos projetos de infraestrutura.

Questionado sobre a situação da empresa deficitária OSX, o presidente do Santander Brasil afirmou que o banco "procura sempre ser parte da solução, e neste caso também", citando a renegociação de dívida feita recentemente com a LLX.

O acordo para a compra de participação majoritária na empresa de meios de pagamentos GetNet deve ser fechado nos próximos dias, de acordo com Zabalza. "Vamos ficar com participação bem maior que 51 por cento", disse. Atualmente, a fatia do banco é de 50 por cento. Até fevereiro, o Santander Brasil espera obter aprovação regulatória para fechar o negócio.

(Por Natalia Gómez)