Indústria do Brasil faz sondagem para importação de etanol na entressafra

quinta-feira, 24 de outubro de 2013 16:07 BRST
 

Por Fabíola Gomes

SÃO PAULO, 24 Out (Reuters) - As indústrias do centro-sul do Brasil começam a fazer as primeiras consultas para uma possível importação de etanol anidro dos Estados Unidos, preocupadas com a perspectiva de um balanço apertado entre oferta e demanda na entressafra, apontaram executivos e fontes do setor.

Apesar de a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) estimar um crescimento de 25 por cento na produção de etanol anidro nesta safra do centro-sul, a situação de oferta dependerá muito das condições climáticas até o final da temporada 2013/14, na avaliação do diretor da trading de etanol Greenergy Brasil, Nelson Ostanello.

"Se tiver mais dias de chuva do que a média, provavelmente vai se produzir menos do que o estimado e com um rendimento industrial abaixo do previsto, isso pode vir a afetar algumas usinas, que talvez precisem importar", disse Ostanello.

Existe uma corrente no mercado, acrescentou ele, estimando que haverá um déficit na entressafra do centro-sul --entre dezembro e o final de março-- na faixa de 500 milhões de litros de etanol anidro, biocombustível misturado à gasolina no país.

Esta corrente, segundo ele, considera que o déficit poderia ser coberto parcialmente com a desidratação do etanol hidratado (usado nos carros flex). Mas ele pondera que esta é uma alternativa que traz outras complicações, porque depende da disponibilidade de bagaço, energia e do período de manutenção das destilarias.

A outra alternativa, acrescentou, seria importar o etanol de milho dos EUA, que em meio à grande safra do cereal conta com boa disponibilidade do biocombustível, o que vem pressionando os preços locais.

PRIMEIRAS CONSULTAS

O analista da INTL FCStone Renato Dias também considera que a situação de oferta de etanol na entressafra vem preocupando o setor.   Continuação...