Dólar vai a R$2,20 com rolagem parcial;BC anuncia novas rolagens após fechamento

quinta-feira, 24 de outubro de 2013 20:51 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 24 Out (Reuters) - O fato de o Banco Central não ter rolado integralmente os contratos de swap cambial tradicional que vencem em 1º de novembro, enxugando liquidez do mercado de câmbio brasileiro, fez o dólar voltar ao nível de 2,20 reais pela primeira vez em duas semanas nesta quinta-feira.

Boa parte do mercado acreditava que o patamar atingido pela moeda norte-americana nesta sessão era importante referência para o BC que, na sexta-feira passada, informou que faria nesta semana três leilões com o objetivo de rolar os swaps. Nesta noite, no entanto, a autoridade monetária anunciou que fará mais três leiloes, nos dia 28, 29 e 30 deste mês para mais rolagem dos contratos que vencem no início do mês, algo que foi visto como uma estratégia para evitar exageros na valorização da moeda norte-americana. "O medo do BC pode ter sido que o pessoal interpretasse que, se (o dólar) bateu 2,20 reais, pudesse ir a 2,30, a 2,40 reais. O BC quis mostrar que está de olho", afirmou o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, acrescentando que o dólar deve recuar nesta sexta-feira.

O dólar encerrou o dia com alta de 0,65 por cento, a 2,2012 reais na venda, após atingir 2,2095 na máxima do dia. Segundo dados da BM&F, o volume de negociação ficou em cerca de 1,8 bilhão de dólares.

Nesta quinta-feira, o BC realizou a terceira etapa prevista da rolagem de contratos de swap tradicional que vencem em novembro, vendendo a oferta total de 20 mil contratos. Com isso, a autoridade monetária rolou apenas o equivalente a 2,964 bilhões de dólares, ou 33 por cento dos 8,87 bilhões de dólares que vencem no mês que vem. À noite, o BC comunicou que fará novos leilões na próxima semana, sem afirmar que, para isso, faria pesquisa de demanda. Tampouco informou horário ou quantidade que será colocada.

Analistas acreditavam que a rolagem parcial dos contratos de swap tradicional sinalizaria que o BC não deseja que o dólar continue se depreciando ante o real, atento ao possível impacto desse movimento sobre a atividade econômica via exportações.

Segundo boa parte do mercado, o BC pode estar almejando que o dólar seja negociado na faixa dos 2,20 reais e acredita que, caso a autoridade monetária rolasse integralmente os swaps, a moeda norte-americana poderia até mesmo recuar ao nível de 2,10 reais. Na semana passada, ela havia chegado ao patamar de 2,15 reais e, de lá para cá, já acumula valorização de quase 2 por cento. Para o gestor de recursos da corretora Ativa, Arnaldo Curvello, apesar de o BC ter anunciado mais leilões de rolagem do swap, não significa que a autoridade monetária oferecerá o restante integralmente. Isso porque, na avaliação dele, a autoridade monetária está "conduzindo o mercado com cuidado" devido 'a forma como o BC está conduzindo esse processo, com leilões picados, diferentemente do que fez no mês passado. " O quanto mais ele (BC), também não está muito claro", acrescentou.

Mais cedo, o BC deu continuidade ao seu programa de atuações diárias no mercado de câmbio, com a venda de 10 mil contratos de swap cambial tradicional com vencimento em 5 de março de 2014. Os contratos com vencimento em 1º de julho de 2014 não foram vendidos e o volume financeiro da operação foi de 495,3 milhões de dólares.

E, também após o fechamento, a autoridade monetária anunciou para sexta-feira leilão de venda de até 1 bilhão de dólares com compromisso de recompra, previsto pelo cronograma de rações diárias. A operação ocorrerá em duas etapas: no leilão "A", a oferta será entre 11h15 e 11h20, a data de recompra será 4 de fevereiro de 2014. Entre 11h30 e 11h35, ocorrerá o leilão "B", com data de recompra em 3 de junho de 2014.

(Reportagem adicional de Marília Carrera)