Preços ao consumidor no Japão sinaliza que fim da deflação está próximo

sexta-feira, 25 de outubro de 2013 08:39 BRST
 

Por Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO, 25 Out (Reuters) - Evidências estão aumentando de que a ação agressiva do Japão para acabar com a deflação está começando a dar resultados, com dados de setembro mostrando que uma importante medida de preços não caiu pela primeira vez em cerca de cinco anos.

A notícia é encorajadora para o primeiro ministro Shinzo Abe que tem seguido uma mistura de políticas fiscal e monetária agressivas para reaquecer a terceira maior economia do mundo, embora o sucesso ainda esteja longe de ser garantido.

O objetivo é fazer com que o crescimento sustentável nos preços ao consumidor depois de 15 anos de deflação leve a um ciclo de expansão econômica, aumento das despesas das empresas e salários mais altos. Este ano o crescimento acelerou, mas os investimentos das empresas e os salários não.

O chamado "núcleo do núcleo" da inflação, que exclui preços de alimentos e energia, ficou estável em setembro ante o ano anterior, mostraram dados oficiais.

Foi a primeira vez que o indicador não caiu desde dezembro de 2008, indicando que o aumento dos preços está ocorrendo além dos alimentos e energia.

"A recuperação econômica em andamento está ajudando a melhorar o equilíbrio da demanda e oferta na economia, levando a um aumento nos preços não apenas para energia mas para outros produtos como bens duráveis", afirmou o economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin, Takeshi Minami. "O fim da deflação está próximo com certeza".

Já o núcleo da inflação, que exclui produtos do petróleo mas não os preços voláteis de alimentação, subiu 0,7 por cento no acumulado do ano até setembro, informou o Ministério de Assuntos Internos e Comunicações.

Alguns analistas dizem que o núcleo da inflação chegará a 1 por cento até o fim de 2013 devido aos preços de energia e alimentos.

(Reportagem adicional de Leika Kihara e Stanley White)