October 28, 2013 / 12:36 PM / 4 years ago

Suzano reverte prejuízo no 3o tri; reduz investimentos para 2013

5 Min, DE LEITURA

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 28 Out (Reuters) - A Suzano Papel e Celulose voltou ao azul no terceiro trimestre, mas com lucro abaixo do estimado pelo mercado, e reduziu a estimativa de investimentos para 2013, postergando alguns pagamentos ligados ao projeto no Maranhão.

A fabricante de papel e celulose teve lucro líquido de 43 milhões de reais no período, ante prejuízo de 24 milhões em igual etapa de 2012. No segundo trimestre deste ano, a empresa tivera prejuízo de 248 milhões de reais.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou 503 milhões de reais, alta de 51,7 por cento no ano a ano. Ante o segundo trimestre, houve alta de 23 por cento.

O Ebitda consolidado teve os mesmos números na comparação anual, mas teve queda de 2,4 por cento na base sequencial.

Analistas esperavam um lucro de 103 milhões de reais e Ebitda de 484,17 milhões de reais, segundo a média das estimativas de seis analistas apurada pela Reuters.

Segundo a companhia, a depreciação do real, com impacto na receita de exportações, o aumento do preço e do volume de celulose vendidos beneficiaram o Ebitda, e mais que compensaram o aumento do custo de madeira e de despesas com logística.

A Suzano também reduziu a estimativa de investimentos para 2013, de 3 bilhões para cerca de 2,5 bilhões de reais, devido ao adiamento para 2014 de pagamentos referentes ao projeto Maranhão "quando a unidade estiver operacional e com geração de caixa".

De acordo com o presidente da Suzano, Walter Schalka, a fábrica deve iniciar as operações em dezembro. "Queremos fazer com comissionamento bem estruturado", disse em teleconferência com analistas nesta segunda-feira, adicionando que a empresa já começou a colheita e tem madeira no pátio para as operações.

Segundo Ernesto Pousada, diretor de operações da empresa, a unidade deve atingir capacidade de 1,150 milhão de toneladas por ano 12 meses após o início das atividades.

A receita líquida da fabricante totalizou 1,52 bilhão de reais entre julho e setembro, alta anual de 11,7 por cento.

O nível de endividamento da empresa, um dos maiores do setor, passou para 4,8 vezes a relação entre dívida líquida e Ebitda, ante 4,7 vezes nas comparações anual e trimestral.

O balanço tinha reação positiva do mercado. Às 13h34, as ações da Suzano subiam 1,57 por cento, a 9,05 reais, enquanto o Ibovespa avançava 0,85 por cento.

"No geral, os resultados são positivos, pois mostram os benefícios de um real mais depreciado tanto para a divisão de celulose quanto de papel e confirmam o sucesso da estratégia de corte de custos de redução dos impactos da inflação", disseram analistas do Bradesco liderados por Alan Glezer, em relatório

Expectativas Para 2014

Apesar da entrada em operação e de ampliação de fábricas de outras empresas, a empresa afirmou estar tranquila sobre preços.

"Nós vemos oferta e demanda nos próximos seis meses com tranquilidade. Não acredito nas previsões catastróficas. Temos muita serenidade de que não vai ter boom de preços, mas também não vai ter nenhuma catástrofe", disse o diretor da Unidade de Negócios de CeluloseAlexandre Yambanis, na teleconferência.

Além da fábrica da Suzano, a Eldorado deve ampliar sua produção na fábrica de Três Lagoas em 2014, enquanto a Stora Enso e a Copec devem inaugurar uma nova fábrica no Uruguai.

No terceiro trimestre, a Suzano teve aumento anual de 3,7 por cento no volume vendido de seus produtos, impulsionado pela expansão de 7,8 por cento no volume de celulose, enquanto o de papel recuou 1,5 por cento sobre igual período de 2012.

Para o segmento de papel, a expectativa para é positiva para o Brasil em 2014, com Copa e eleições, disse Carlos Aníbal de Almeida, diretor da unidade de negócios de papel.

"Para o quarto trimestre, nossa expectativa é de demanda próxima à do terceiro trimestre. Para 2014, temos fatores que ajudam o consumo, como a Copa do Mundo e eleições, então por hora esperaríamos algo próximo ao crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), entre 3 e 3,5 por cento", disse.

Custos De Madeira

A Suzano afirmou que deve ter um aumento nos custos com a compra de madeira de terceiros na unidade de Mucuri (BA) a partir do quarto trimestre e durante 2014. Isso trará impactos no custo da madeira que deve levar a aumento do custo caixa (na unidade)", disse Walter Schalka.

Ainda assim, o executivo destacou que no custo caixa total da Suzano o efeito negativo de Mucuri deverá ser compensando pelo início das operações em Maranhão.

Por Roberta Vilas Boas, edição Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below