Trabalhadores de bancos italianos entrarão em greve pela 1a vez em 13 anos

segunda-feira, 28 de outubro de 2013 15:59 BRST
 

ROMA, 28 Out (Reuters) - Trabalhadores de bancos italianos vão entrar em greve na quinta-feira pela primeira vez em 13 anos para protestar contra a anulação unilateral pelas maiores instituições financeiras do país de contratos de trabalho que abrangem mais de 300 mil funcionários, afirmaram sindicatos.

Comícios irão ocorrer em Roma e em Milão, levando trabalhadores dos bancos às ruas pela primeira vez na Itália, disseram os sindicatos nesta segunda-feira, em coletiva de imprensa.

As instituições financeiras do grupo ABI anularam contratos dos trabalhadores em setembro, mais de nove meses antes de expirarem em meados de 2014, sinalizando que queriam cortes substanciais de custos no próximo acordo.

A Itália evitou resgates bancários generalizados que varreram a Espanha e a Irlanda. Mas os bancos têm sido duramente atingidos pela crise da dívida da zona do euro e forçados a aumentar suas bases de capital. Bancos italianos venderam ativos, fecharam agências e anunciaram 19 mil cortes de empregos desde 2011, à medida que procuram reduzir os custos e melhorar a rentabilidade tradicionalmente fraca.

"Queremos manter o atual nível de força de trabalho para o setor bancário e pedimos que um contrato justo ... seja adotado a nível nacional", disse Lando Maria Sileoni, secretário-geral do sindicato FABI.

Os sindicatos também estão pedindo um teto para os salários dos principais executivos, já que a diferença salarial para os trabalhadores é considerada muito grande.

(Reportagem de Stefano Bernabei)