Petrobras poderá adaptar Abreu e Lima após fim de parceria com Venezuela

segunda-feira, 28 de outubro de 2013 17:11 BRST
 

SÃO PAULO, 28 Out (Reuters) - O fim da parceria com a petroleira Venezuelana PDVSA permitirá à Petrobras fazer adaptações no projeto da Refinaria do Nordeste para eventualmente ampliar a capacidade de refino, originalmente planejada em 230 mil barris dia, segundo o diretor de Abastecimento, José Cosenza.

O projeto da refinaria em Pernambuco foi concebido, em parceria com a PDVSA na época, para processar um petróleo mais pesado vindo de Carabobo, na Venezuela, do que o óleo brasileiro de Marlim, da Bacia de Campos.

Com o fim da parceria, anunciada na sexta-feira com a incorporação da Rnest (Refinaria do Nordeste) à Petrobras, algumas adaptações no projeto já estão sendo testadas.

Uma delas é viabilizar o processamento de óleo mais leve na planta do que se projetava inicialmente. "Isso não terá custo adicional nenhum", garantiu o diretor a jornalistas em conferência na sede da Petrobras.

A unidade de Pernambuco já está 82 por cento concluída e o orçamento atual da unidade é de 18 bilhões de dólares, de acordo com o diretor da Petrobras.

A mudança para o processamento de óleo leve, que está em implementação na Rnest, proporcionará uma ganho de produtividade na unidade.

A unidade foi concebida para processar 230 mil barris ao dia, e as alterações podem alavancar essa meta.

"Estamos estudando o quanto isso pode ser, em função da saída da PDVSA", disse Cosenza à Reuters. "Vamos ter que esperar a unidade entrar para saber. Às vezes as simulações não representam bem o que se imagina antes", acrescentou.

A previsão é que a Rnest entre em operação em 2014, segundo o Plano de Negócios da companhia. O primeiro trem está previsto para o segundo semestre do ano que vem e o segundo trem para a primeira metade de 2015, segundo o plano da estatal.   Continuação...

 
Funcionário testa petróleo na plataforma de Cidade Angra dos Reis no campo de Lula, no Rio de Janeiro. O fim da parceria com a petroleira Venezuelana PDVSA permitirá à Petrobras fazer adaptações no projeto da Refinaria do Nordeste para eventualmente ampliar a capacidade de refino, originalmente planejada em 230 mil barris dia, segundo o diretor de Abastecimento, José Cosenza. 16/02/2011 REUTERS/Sérgio Moraes