OGX pede recuperação judicial nesta semana e exclui ativos de gás, dizem fontes

segunda-feira, 28 de outubro de 2013 20:04 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi, Guillermo Parra-Bernal e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 28 Out (Reuters) - A endividada petroleira OGX, do empresário Eike Batista, está finalizando a documentação necessária para entrar com pedido de recuperação judicial nesta semana, o que pode ocorrer a partir de terça-feira, afirmaram à Reuters nesta segunda-feira três fontes que acompanham o tema.

A OGX Maranhão, que tem ativos de gás na Bacia do Parnaíba, ficará fora do processo de recuperação judicial, e o procedimento envolverá OGX Petróleo e Gás SA e OGX Austria, segundo uma das fontes.

Segundo essa mesma fonte, o pedido de recuperação judicial vai acelerar a negociação com os credores. Eike mantém o plano de converter parte da dívida da OGX em ações da empresa e ainda busca capital novo, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato.

Procurada, a OGX --que tem dívidas de mais de 5 bilhões de dólares-- disse que não comentaria o assunto.

Se confirmado, o processo de recuperação judicial da OGX será o maior da história de uma empresa latino-americana, segundo dados da Thomson Reuters. A decisão ocorre enquanto se aproxima do fim o prazo de 30 dias que a OGX tem para não ser declarada inadimplente, após não ter honrado o pagamento de cerca de 44 milhões de juros sobre bônus no exterior no começo de outubro.

O pedido não seria só um indicativo do tamanho da queda de Eike, mas também forneceria um duro teste à lei de recuperação judicial do Brasil, aprovada há oito anos, sobre se ela oferece a proteção adequada aos credores.

As ações da OGX terminaram o dia estáveis na Bovespa, cotadas a 0,29 real.

As outras duas fontes disseram à Reuters que a OSX, empresa de construção naval do grupo de Eike criada para fornecer plataformas à OGX, não tem intenção de pedir recuperação judicial.   Continuação...