Consumo de energia no Brasil sobe 3,9% no tri, impulsionado por residências

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 15:10 BRST
 

SÃO PAULO, 30 Out (Reuters) - O consumo de energia elétrica no Brasil subiu 3,9 por cento, sendo que a maior contribuição para a alta veio do segmento residencial cuja forte demanda é atribuída à expansão da posse e ao maior uso de eletrodomésticos nos domicílios, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) nesta quarta-feira.

As residências aumentaram o consumo de eletricidade em 6,9 por cento no trimestre, com expansão de 3,5 por cento na base de consumidores atingindo 63 milhões de unidades em setembro. O consumo médio de energia das residências, atualmente, está em 162 quilowatts-hora (kWh) mês -- crescimento de 2,9 por cento no período.

"A linha de financiamento concedida pelo Programa Minha Casa Melhor lançado em junho de 2013 pelo governo federal, e direcionada aos beneficiários do programa favoreceu a aquisição de novos eletrodomésticos no trimestre e, consequentemente, o seu uso nos domicílios", informou a EPE na Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica.

Já a indústria teve elevação de 1,1 por cento de consumo de energia no trimestre, mas a variação na taxa anual ainda é nula.

O maior crescimento do consumo industrial foi verificado foi no Centro-Oeste, de 12,9 por cento, com a expansão do setor de minerais não-metálicos em Mato Grosso e da metalurgia de não-ferrosos em Goiás contribuindo para a aceleração, entre outros fatores.

O Norte apresentou aumento de 0,9 por cento no consumo industrial, no Sudeste houve queda de 0,6 por cento, no Nordeste uma redução de 0,5 por cento e no Sul uma alta de 5 por cento.

Em setembro, o consumo de eletricidade no Brasil subiu 2,7 por cento ante mesmo mês de 2012, para 38.682 gigawatts-hora (GWh), sendo que a indústria registrou queda de 0,1 por cento, as residências elevaram a demanda em 5,7 por cento e o comércio aumento o consumo em 4,3 por cento.

(Por Anna Flávia Rochas)