CORREÇÃO-ATUALIZA 2-Fed mantém forte estímulo com desaceleração no crescimento dos EUA

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 17:28 BRST
 

(Corrige no 7º parágrafo primeiro nome do analista para Krishna, não Rishna)

Por Alister Bull e Pedro da Costa

WASHINGTON, 30 Out (Reuters) - O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, estendeu nesta quarta-feira seu apoio à lenta economia norte-americana afirmando que continuará comprando 85 bilhões de dólares em títulos ao mês por enquanto.

Ao anunciar a decisão amplamente esperada, integrantes do Fed ressaltaram a perspectiva de crescimento mais fraco devido em parte à disputa fiscal em Washington que paralisou boa parte do governo por 16 dias neste mês.

A alta nos custos de financiamento diante de sinais do banco central anteriormente de que poderia começar em breve a reduzir o estímulo monetário também prejudicou o crescimento.

"Os dados disponíveis sugerem que o consumo das famílias e o investimento fixo das empresas avançou, enquanto a recuperação no setor imobiliário teve certa desaceleração nos últimos meses", informou o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed.

"A política fiscal está restringindo o crescimento econômico", continuou.

O mercado de trabalho mostrou "alguma" melhora, informou o Fed, apesar de recente enfraquecimento nos dados. A autoridade monetária retirou a referência ao "aperto das condições financeiras observado nos últimos meses" da lista de riscos à perspectiva, mas muitos economistas mantiveram apostas de que o estímulo continuará até o próximo ano.

"Até que os dados econômicos se fortaleçam de forma significativa, as expectativas de redução do programa de compra de ativos continuarão contidas", disse o vice-presidente de Investimentos do Oppenheimer, Krishna Memani. "A probabilidade de que qualquer coisa aconteça em dezembro é modesta".   Continuação...

 
Sede do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, em Washington, EUA. O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, estendeu nesta quarta-feira seu apoio à lenta economia norte-americana afirmando que continuará comprando 85 bilhões de dólares em títulos ao mês por enquanto. 19/06/2012 REUTERS/Yuri Gripas