OGX confirma expectativa e pede recuperação judicial com dívida de R$11,2 bi

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 19:19 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO, 30 Out (Reuters) - A endividada petroleira OGX, do empresário Eike Batista, entrou nesta quarta-feira com o maior pedido de recuperação judicial da história corporativa da América Latina, num passo que já era esperado para tentar evitar a falência.

O pedido de recuperação --feito na 4a Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro-- tornou-se a única alternativa para a companhia depois que fracassaram as negociações com detentores de 3,6 bilhões de dólares em bônus no exterior para uma reestruturação da dívida.

A petroleira declarou dívida consolidada de 11,2 bilhões de reais no pedido de recuperação judicial e disse que não tem qualquer endividamento bancário nem créditos com garantias reais, segundo documento obtido pela Reuters.

"Não foi uma surpresa. Sabíamos que iria acontecer. Até o engraxate sabia que isso iria acontecer", disse o vice-chairman e gestor de porfólio da Loomis Sayles, Dan Fuss, da instituição que administra 193,5 bilhões de dólares em ativos, incluindo bônus da OGX.

Se o tribunal de falências aprovar o pedido, a OGX terá 60 dias para apresentar um plano de reestruturação da companhia.

"Acreditamos que (o pedido) seja deferido pelo juiz e que seja proveitoso para credores, acionistas e para o país. A OGX possui ativos para viabilizar sua recuperação" afirmou o advogado Marcio Costa, do escritório de advocacia Sergio Bermudes, que participa do processo.

Para os advogados da empresa, a recuperação judicial evita um "cenário indesejável de falência", que implicaria em caducidade de concessões de exploração de áreas de petróleo e perda integral de valores investidos, segundo a petição na Justiça.

Os credores da OGX --que incluem a Pacific Investment Management Co (Pimco), que administra o maior fundo de títulos do mundo, com sede na Califórnia, e o fundo de investimento norte-americano BlackRock Inc, entre outros-- terão então 30 dias para aprovar ou rejeitar o plano.   Continuação...

 
Sede da OGX no centro do Rio de Janeiro. 29/10/2013 REUTERS/Sérgio Moraes