SAIBA MAIS-O desmantelamento do império industrial de Eike Batista

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 18:24 BRST
 

SÃO PAULO, 30 Out (Reuters) - A petroleira OGX entrou com pedido de recuperação judicial nesta quarta-feira, no mais recente golpe ao império industrial do ex-bilionário Eike Batista em processo de desagregação.

A OGX sempre foi o carro-chefe do grupo EBX, um conglomerado de energia, mineração e logística antes avaliado em 60 bilhões de dólares. Mas a produção decepcionante dos campos marítimos de petróleo dizimaram em mais de 90 por cento o valor de mercado da petroleira em um ano, dando início a uma reação em cadeia entre outras empresas listadas de Batista.

Em busca de capital novo para atender as obrigações de dívida e manter as operações funcionando, Eike foi forçado a trazer novos investidores e diluir seus ativos, quebrando um império do qual ele tinha o controle total.

Abaixo está a condição das outras cinco empresas listadas do grupo EBX:

MPX Energia SA

A alemã E.ON SE assumiu o controle da geradora de energia MPX Energia em março, triplicando sua participação com um investimento de cerca de 1 bilhão de dólares. O nome da companhia foi mudado para Eneva SA em setembro.

Em julho, Eike deixou a presidência do Conselho da empresa de energia depois de reduzir sua participação à metade, para 27 por cento neste ano. Eike pode vender sua fatia remanescente, disse a companhia em comunicado divulgado em setembro.

A E.ON é a maior acionista da Eneva, com 38 por cento do total.

LLX Logística SA   Continuação...