Gerdau tem lucro acima do esperado puxado por operação Brasil

quinta-feira, 31 de outubro de 2013 13:19 BRST
 

SÃO PAULO, 31 Out (Reuters) - A Gerdau, maior produtora de aços longos das Américas, teve lucro acima do esperado no terceiro trimestre, em um desempenho impulsionado por maiores vendas e preços de aço no Brasil, mas contido por fraqueza nas operações nos Estados Unidos.

A companhia teve lucro líquido de 642 milhões de reais, crescimento de 57 por cento sobre o resultado positivo obtido um ano antes. O desempenho veio acima da estimativa média de analistas apurada pela Reuters, de 546,5 milhões de reais, e as ações da companhia subiam mais de 3 por cento no início da tarde, ante queda do Ibovespa.

"O resultado da Gerdau foi bom e melhor que o esperado pelo mercado (...) apesar das operações na América do Norte destoarem negativamente, o crescimento de volumes de vendas e de receita por tonelada nos demais mercados compensaram", afirmou William Castro Alves, analista da XP Investimentos, em relatório.

As operações brasileiras da Gerdau tiveram crescimento de 42 por cento na geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), com a margem passando de 19,4 por cento um ano antes para 24,6 por cento. Já as operações na América do Norte sofreram queda de 37 por cento no Ebitda e recuo de margem de 6 para 3,7 por cento.

Segundo a Gerdau, enquanto na operação Brasil a empresa vendeu mais aço e a preços maiores na comparação anual, na divisão América do Norte houve queda de 9 por cento no volume vendido e crescimento de 3 por cento nos custos das vendas.

O resultado da Gerdau foi divulgado um dia depois da Usiminas anunciar seu primeiro lucro em sete trimestres depois de estratégia que priorizou vendas no Brasil ante exportações.

No caso da Gerdau, a unidade brasileira viu oportunidades de exportação em relação ao segundo trimestre, elevando as vendas externas no período em 41 por cento, enquanto manteve o volume vendido no país praticamente inalterado.

Segundo o diretor financeiro da companhia, André Pires, o aumento das exportações a partir do Brasil foi "um evento pontual" por conta de variações cambiais e a expectativa para o quarto trimestre é de retomada no crescimento das vendas no país.

O presidente-executivo da companhia, André Gerdau Johannpeter, afirmou que a empresa espera uma desaceleração na produção de veículos do Brasil no quarto trimestre por conta de estoques elevados da indústria. Para 2014, ele vê "boa evolução" no mercado de aço para infraestrutura no país, principalmente voltada para mobilidade urbana.   Continuação...