Produção industrial sobe 0,7% em setembro, abaixo do esperado, e fecha 3º tri com contração

sexta-feira, 1 de novembro de 2013 13:47 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 1 Nov (Reuters) - A produção industrial brasileira recuperou-se de dois meses de fraqueza ao avançar 0,7 por cento em setembro na comparação com agosto, com impulso do segmento de bens de capital, mas ainda assim ficou abaixo do esperado e destaca a volatilidade do setor.

Na comparação com setembro de 2012, a produção avançou 2,0 por cento, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No terceiro trimestre, houve retração de 1,4 por cento, ante expansão de 1 por cento nos três meses anteriores.

Pesquisa da Reuters apontava na mediana alta de 1,20 por cento na comparação mensal e avanço de 2,80 por cento ante o mesmo mês do ano passado.

A produção brasileira voltou crescer após ter estagnado em agosto e recuado 2,4 por cento em julho na comparação mensal.

"Setembro é uma situação melhor que em meses anteriores, mas não reverte as perdas de maio a agosto na produção", disse o economista do IBGE André Macedo, destacando que nesse período a perda acumulada é de 2,3 por cento.

BENS DE CAPITAL

Em setembro, o destaque ficou para a categoria Bens de Capital, medida de investimento, que avançou 4 por cento ante agosto e 24,1 por cento ante o mesmo período de 2012.

"A produção de bens de capital parece ser o único setor que escapa da maldição industrial. Entretanto, não foi suficiente para impedir queda no investimento (no terceiro trimestre), de acordo com nossas estimativas", destacou o ex-diretor do Banco Central Alexandre Schwarstman, hoje sócio-diretor da Schwartsman & Associados, estimando recuo de 4,1 por cento do investimento entre julho e setembro.   Continuação...

 
Robôs soldam carro em linha de montagem da Ford em São Bernardo do Campo, São Paulo. A produção industrial brasileira recuperou-se de dois meses de fraqueza ao avançar 0,7 por cento em setembro na comparação com agosto, com impulso do segmento de bens de capital, mas ainda assim ficou abaixo do esperado e destaca a volatilidade do setor. 14/06/2012. REUTERS/Paulo Whitaker