Ações dos EUA sobem em dia de baixo volume; BlackBerry desaba

segunda-feira, 4 de novembro de 2013 20:03 BRST
 

NOVA YORK, 4 Nov (Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam em alta nesta segunda-feira em dia marcado pelo baixo volume, uma vez que investidores relutaram em fazer grandes apostas com o índice Standard & Poor's 500 oscilando pouco abaixo da máxima histórica.

O índice Dow Jones avançou 0,15 por cento, para 15.639 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,36 por cento, para 1.767 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,37 por cento, para 3.936 pontos.

A baixa atividade da sessão deveu-se parcialmente às quatro semanas consecutivas de ganhos do Dow Jones e do S&P 500. Investidores também aguardam o importante relatório de folhas de pagamento do setor não agrícola a ser divulgado na sexta-feira, em busca de pistas sobre quando o Federal Reserve, banco central norte-americano, pode começar a reduzir seu estímulo monetário.

Entre as ações individuais, os papéis listados nos EUA da BlackBerry terminaram com queda de 16,4 por cento, para 6,50 dólares, após atingir a mínima em 52 semanas, de 6,40 dólares. A fabricante de smartphones informou que vai abandonar o plano de vender a companhia. Com a queda desta segunda-feira, a ação é negociada em níveis não vistos desde outubro de 2003.

O Twitter, por sua vez, elevou o teto da faixa sugerida de preços para sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) ainda nesta semana, sinal encorajador para a rede social.

À exceção desses movimentos, foi um início tranquilo após uma semana de máximas recordes para as bolsas norte-americanas.

A pergunta agora é se os mercados conseguem avançar ainda mais, com muito dependendo dos passos que o Fed dará nos próximos meses em resposta a dados econômicos. As imensas compras de títulos do Fed têm ajudado a promover a economia e os mercados acionários durante boa parte do ano.

"A recuperação das bolsas no fim de outubro levou o S&P 500 a acumular ganhos de 24 por cento desde o início do ano. Como resultado, acreditamos que esse é um bom momento para que investidores recalibrem seus portfólios, que agora podem conter um montante de ações que excede a alocação recomendada", disse o estrategista-chefe macroeconômico do Wells Fargo Advisors, Gary Thayer.

"Continuamos com viés positivo no longo prazo para as ações norte-americanas, mas recomendaríamos realizar algum lucro nesse momento", acrescentou.

(Reportagem de Angela Moon)