Premiê da China alerta contra políticas monetárias frouxas

terça-feira, 5 de novembro de 2013 09:43 BRST
 

PEQUIM, 5 Nov (Reuters) - A China precisa sustentar crescimento econômico de 7,2 por cento para garantir um mercado de trabalho estável, afirmou o primeiro-ministro Li Keqianq, alertando o governo contra ampliar ainda mais as políticas monetárias já frouxas.

Em uma das poucas ocasiões em que uma importante autoridade falou sobre um nível mínimo de crescimento necessário para o emprego, Li disse que os cálculos mostram que a economia chinesa precisa crescer 7,2 por cento anualmente para criar 10 milhões de empregos por ano.

Isso limitaria a taxa de desemprego urbano em cerca de 4 por cento, afirmou ele.

"Queremos estabilizar o crescimento econômico porque precisamos garantir o emprego essencialmente", afirmou Li de acordo com o Diário dos Trabalhadores de segunda-feira. As declarações dele foram feitas em uma reunião sindical duas semanas atrás, mas publicadas na íntegra apenas esta semana, dias antes do início de importante sessão do plenário do Partido Comunista.

Li também alertou sobre a oferta de crédito fácil, que segundo ele ultrapassou 100 trilhões de iuanes (16,4 trilhões de dólares) na segunda maior economia do mundo.

"Já tem muito dinheiro em circulação; emitir mais moeda pode levar para a inflação", disse Li.

Os comentários dele ecoaram a postura rigorosa do governo em relação à inflação, disseram analistas, e foram afirmadas separadamente nesta terça-feira pelo banco central, que prometeu manter a política prudente com o ajuste apropriado, assim como "firmemente reprimir" a especulação imobiliária.

Mesmo assim, os comentários de Li destacam a linha tênue que a China deve percorrer para gerar crescimento econômico e empregos para a estabilidade social, ao mesmo tempo protegendo-se contra os excessos que podem prejudicar o país no longo prazo.

Autoridades da China têm criticado a economia do país de 8,5 trilhões de dólares --que tem uma forte dependência de exportações e investimento-- afirmando ser instável e de estar em um caminho de crescimento não sustentável.   Continuação...