5 de Novembro de 2013 / às 17:59 / em 4 anos

OSX refinancia dívida de R$400 mi com CEF e Santander, dizem fontes

Funcionário inspeciona a unidade de produção FPSO OSX-1 da OSX no Rio de Janeiro. A OSX, construtora naval controlada pelo empresário Eike Batista, obteve refinanciamento de empréstimo de 400 milhões de reais, após 17 dias do seu vencimento, disseram duas fontes com conhecimento da situação nesta terça-feira. 17/11/2011 REUTERS/Sérgio Moraes

SÃO PAULO, 5 Nov (Reuters) - A endividada OSX, construtora naval controlada pelo empresário Eike Batista, conseguiu algum alívio ao obter refinanciamento de empréstimo de 400 milhões de reais, após 17 dias do seu vencimento, disseram duas fontes com conhecimento da situação nesta terça-feira.

A estatal Caixa Econômica Federal e o Banco Santander Brasil SA, que forneceu garantia para tornar o empréstimo viável, concordaram em rolar a linha de crédito por um período adicional de 12 meses, de acordo com as duas fontes.

As fontes não puderam ser identificadas por conta das regras de sigilo bancário.

O Santander Brasil concordou em garantir 100 por cento do empréstimo, acrescentou uma das fontes.

A Caixa e Santander Brasil não tinham um comentário imediato sobre o refinanciamento do empréstimo. A OSX não confirmou a informação.

As ações da OSX subiram após a notícia do refinanciamento. A ação, que registra uma queda de 95 por cento no acumulado deste ano, reverteu as perdas iniciais e subia 20,75 por cento, para 0,64 real, às 17h12.

O refinanciamento vem depois de a companhia de petróleo controlada por Eike, a OGX, ter entrado com pedido de recuperação judicial na semana passada, o que melhora as chances de a OSX evitar o mesmo destino.

Quase todos os negócios da OSX, na qual a Hyundai Heavy Industry Coreia detém 10 por cento, dependem da OGX, uma vez que a petroleira afreta plataformas da companhia de construção naval.

A OSX tinha dívidas de 5,3 bilhões de reais até junho, com 1,1 bilhão de reais na Caixa Econômica Federal.

A empresa disse na semana passada que poderá exercer direito legal à recuperação judicial, caso administração considere isso medida adequada. Afirmou ainda que a empresa estuda diversas iniciativas de reestruturação, incluindo potenciais combinações empresariais.

Como outras empresas do EBX, os problemas da OSX seguem as dificuldades da OGX, carro-chefe do grupo, que não está conseguindo produzir petróleo suficiente para pagar suas dívidas.

A empresa não conseguiu cumprir suas metas de produção de petróleo ambiciosas. Depois de iniciar atividades em seu primeiro campo no início de 2012, a OGX deixou de atingir metas, apesar de tranquilizar os investidores de que grandes quantidades de petróleo fluiriam em breve.

Tendo dito uma vez que a OGX seria capaz de produzir 1,4 milhão de barris de óleo equivalente por dia em 2018, ou mais da metade da produção atual do Brasil, a empresa nunca produziu mais de 1 por cento do que isso.

Por Guillermo Parra-Bernal

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below