China corta oferta de gás na indústria para evitar escassez

quarta-feira, 6 de novembro de 2013 12:31 BRST
 

PEQUIM, 6 Nov (Reuters) - Os maiores produtores de gás natural da China começaram a cortar o fornecimento para clientes industriais em uma tentativa de assegurar que os domicílios e os usuários de transporte não sejam deixados sem suprimento conforme a demanda aumenta nos meses de inverno.

Os fabricantes de fertilizantes químicos e outros usuários industriais vão provavelmente suportar a maior parte do fardo dos esforços mais recentes de Pequim para racionar suprimentos escassos de gás, mas também são vítimas de uma estratégia de longo prazo para desencorajar o uso de gás como uma matéria-prima.

A segunda maior produtora de óleo e gás da China, a China Petroleum and Chemical Corp (Sinopec), disse que disponibilizaria suprimentos de gás durante o inverno em parte por meio do corte de fornecimento de 1 milhão de metros cúbicos por dia à sua fábrica de vinylon, na província de Sichuan, e corte de outros 300 mil metros cúbicos diários à sua refinaria Qilu, na província de Sichuan.

A empresa disse também nesta quarta-feira que elevaria os suprimentos de gás natural comercial em 10,5 por cento, para 7,583 bilhões de metros cúbicos (bcm) nos próximos meses para suprir as faltas, observando que já impulsionou a capacidade de produção anual em 4 bilhões de metros cúbicos este ano.

A Sinopec e a rival PetroChina elevaram suas capacidades de produção e volumes de importações este ano mas ainda não conseguem atender a demanda, depois que cidades por toda a China fizeram uma troca para gás natural, com o objetivo de cortar o uso de carvão e combater a poluição do ar.