Bovespa cai pelo segundo dia com decepção com cenário fiscal; bancos e PDG recuam

quarta-feira, 6 de novembro de 2013 17:58 BRST
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 6 Nov (Reuters) - O principal índice acionário brasileiro teve sua segunda baixa seguida nesta quarta-feira, em meio ao nervosismo quanto à situação fiscal do Brasil e à política monetária dos Estados Unidos, com destaque para o recuo de papéis de bancos e da PDG Realty, após a incorporadora ter divulgado prejuízo trimestral.

O Ibovespa recuou 0,83 por cento, a 53.384 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 7,5 bilhões de reais.

O índice brasileiro fechou na contramão dos norte-americanos Dow Jones e S&P 500, aprofundando a perda de 1,11 por cento da véspera, quando atingiu seu menor nível em quase um mês.

"Vários fatores somados estão gerando esse movimento: tanto balanços de companhias mais fracos, quanto a perspectiva de números norte-americanos que podem ditar a política de redução de incentivos e a piora das contas brasileiras", afirmou o economista Fausto Gouveia, da Legan Asset.

A queda foi guiada por ações de bancos como Itaú Unibanco, Banco do Brasil e Bradesco, conforme o mercado continuava se ressentindo do cenário fiscal do país.

O desempenho fiscal em setembro, divulgado na quinta-feira, praticamente enterrou as chances de o setor público cumprir a meta de superávit primário do ano, despertando preocupações quanto à nota de crédito do país.

"As taxas de juros voltaram a se elevar ao longo da curva e alguns setores começaram a reagir mal, como o imobiliário e o de consumo. Estamos tendo uma ligeira maior aversão ao risco com ativos domésticos", afirmou o economista Daniel Cunha, da XP Investimentos

No cenário externo, permanecia a espera pela divulgação na sexta-feira do relatório de emprego dos Estados Unidos, cujo resultado deve ser determinante na decisão do banco central local sobre quando reduzir seu programa de estímulos à economia.   Continuação...