BCE deve manter taxas apesar de desaceleração da inflação

quinta-feira, 7 de novembro de 2013 07:21 BRST
 

Por Paul Carrel

FRANKFURT, 7 Nov (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) enfrenta intensa pressão para cortar as taxas de juros nesta quinta-feira, mas não deve ceder, optando por aguardar para ver se a desaceleração da inflação se sustenta.

O Conselho Diretor formado por 23 membros enfrenta o escrutínio do mercado mais intenso desde que cortou os juros para a mínima recorde de 0,5 por cento em maio, quando algumas autoridades pressionavam por uma redução maior.

Alguns membros do conselho queriam cortar as taxas de novo no mês passado. O argumento deles ganhou nova força há uma semana por dados que mostraram uma desaceleração surpreendente na inflação da zona do euro para 0,7 por cento em outubro, bem abaixo da meta do BCE de pouco menos de 2 por cento.

Mas a expectativa é de que o BCE não deve se inclinar a um corte após apenas um dado surpreendente de inflação.

"Provavelmente seria bom para o BCE ver mais um número de inflação para avaliar se o nível muito baixo é sustentado", disse Anders Svendsen, do Nordea, um de vários economistas a prever um corte em dezembro.

Dos 23 traders consultados em pesquisa da Reuters esta semana, 22 esperam que o BCE mantenha os juros na reunião desta quinta-feira, esperando uma visão mais clara sobre o cenário da inflação na zona do euro.