Premiê da China pede menor intervenção de governos locais antes de reunião

sexta-feira, 8 de novembro de 2013 10:35 BRST
 

Por Natalie Thomas

PEQUIM, 8 Nov (Reuters) - O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, pediu aos governos locais que reduzam a burocracia e não gerenciem empresas, em declarações divulgadas nesta sexta-feira, um dia antes de reunião de importantes políticos do país para discutir a agenda de reformas para a próxima década.

A intervenção em empresas pelos governos locais pode facilmente levar a um comportamento monopolista, e as autoridades devem ser apenas reguladores, disse Li em reunião em 1º de novembro.

"De agora em diante, um princípio para os governos locais será de nunca investir novamente de modo direto ou abrir empresas", disse Li em comentários publicados no site do governo, www.gov.cn.

Os governos locais da China há muito tempo têm estado envolvidos com empresas, em parte por causa de uma percepção entre autoridades de que o crescimento econômico rápido em suas localidades aceleram as promoções.

Uma incompatibilidade de renda e obrigações de gastos também levam as autoridades locais a buscarem outras oportunidades para ganhar dinheiro, como vendas de propriedades e através de empréstimos com o financiamento de veículos.

A liderança da China deve discutir maneiras de simplificar mais a administração e de descentralizar o governo em terceira sessão do plenário do partido que começa no sábado.

 
Primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, durante discurso na abertura da Conferência do Conselho de Pequim do Século 21, no Grande Salão do Povo, em Pequim, 1º de novembro de 2013. Li pediu aos governos locais da China que reduzam a burocracia e não gerenciem empresas, em declarações divulgadas nesta sexta-feira, um dia antes de reunião de importantes políticos do país para discutir a agenda de reformas para a próxima década. 01/11/2013 REUTERS/Jason Lee