Objetivo do Twitter no IPO: evitar se tornar o Facebook

sexta-feira, 8 de novembro de 2013 11:47 BRST
 

8 Nov (Reuters) - Conforme o vice-presidente financeiro do Twitter planejava a oferta pública inicial da empresa este ano, ele tinha um objetivo mais importante que outros: evitar que a empresa se tornasse o próximo Facebook.

O CFO do Twitter, Mike Gupta, questionou bancos sobre como evitar os problemas que afetaram o IPO do Facebook do início ao fim da operação, fazendo perguntas detalhadas sobre tudo, desde como escolher uma bolsa de valores a como se comunicar com analistas.

No fim, o Twitter fez escolhas diferentes da rede social rival. O Facebook escolheu o Morgan Stanley como coordenador líder, enquanto o Twitter escolheu o Goldman Sachs. O Facebook foi listado na Nasdaq, onde problemas técnicos afetaram as horas iniciais de negociação, enquanto o Twitter foi listado na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

O Twitter decidiu precificar as ações do IPO em 26 dólares, um número relativamente conservador à medida que os coordenadores estavam ponderando elevar o preço a até 28 dólares, segundo investidores.

Mas os coordenadores decidiram que era melhor definir o preço em um ponto mais baixo, deixando espaço para uma escalada maior no primeiro dia, não seguindo os passos do Facebook, mesmo que isso significasse deixar mais de 1 bilhão de dólares de lado.

O Facebook, que decidiu precificar seu IPO em 38 dólares, viu os coordenadores lutarem para manter suas ações acima do preço do IPO no primeiro dia de negociações. As ações continuaram a cair, chegando a 17,55 dólares nos meses após a abertura da empresa. Demorou mais de um ano para que as ações se recuperassem.

O Twitter não pôde ser contatado de imediato para comentar. O Goldman Sachs e o Morgan Stanley se recusaram a comentar o assunto.

(Por Olivia Oran, Sarah McBride e Alexei Oreskovic)

 
Logo do Twitter refletido no olho de uma mulher em Berlim. Logo do Twitter refletido no olho de uma mulher em Berlim. 7/11/2013. REUTERS/Fabrizio Bensch