Triunfo descarta participar em leilão de aeroportos; quer rodovias e metrô

sexta-feira, 8 de novembro de 2013 12:35 BRST
 

SÃO PAULO, 8 Nov (Reuters) - A Triunfo descartou nesta sexta-feira a participação nos leilões de Galeão e Confins, previstos para o dia 22 de novembro, mas ressaltou que avalia as concessões de rodovias assim como a entrada em mobilidade urbana, como afirmou seu presidente, Carlos Bottarelli, em teleconferência com analistas.

"Não vamos participar de (leilão de) aeroportos porque o governo entende que donos dos aeroportos antigos têm que ter participação minoritária ... Não temos interesse nessa configuração", disse. A Triunfo faz parte do consórcio que em 2012 venceu o leilão por Viracopos (SP).

Pelas regras do governo federal, as empresas que fazem parte dos consórcios vencedores do leilão dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília, em 2012, podem participar na licitação de Galeão e Confins com uma fatia limitada a cerca de 15 por cento.

Por outro lado, no segmento de rodovias, a Triunfo pretende continuar disputando novas concessões. "(No setor) Rodoviário entendemos que iremos participar em todas que pudermos", disse Bottarelli.

A Triunfo já atua no segmento com 642 quilômetros de rodovias no Brasil, administrando três concessionárias: a Econorte (PR), a Concepa (RS) e a Concer (RJ/MG), segundo dados no site da empresa.

A companhia também tem interesse na concessão para construção e operação do metrô de Curitiba. "O metrô de Curitiba, estamos estudando fortemente", disse o diretor financeiro e de Relações com Investidores, Sandro Lima.

No final de outubro, a presidente Dilma Rousseff anunciou investimentos de 5,3 bilhões de reais em mobilidade urbana em Curitiba e na região metropolitana da capital paranaense. Desse total, 4,56 bilhões de reais serão destinados ao metrô, sendo que o governo federal injetará 1,8 bilhão de reais no projeto diretamente do Orçamento da União, enquanto que 1,4 bilhão de reais será repassado por meio de financiamento de 30 anos.

(Por Roberta Vilas Boas)