Lucro da Alpargatas fica estável no 3o tri, afetado por despesas

sexta-feira, 8 de novembro de 2013 19:44 BRST
 

SÃO PAULO, 8 Nov (Reuters) - A Alpargatas teve lucro trimestral praticamente estável ante mesmo período de 2012, impactada por aumento de despesas e pelo recuo na venda das sandálias Havaianas, sua principal marca.

De julho a setembro, a empresa teve lucro líquido de 74,5 milhões de reais, alta de 0,5 por cento na comparação anual.

No trimestre, a receita líquida avançou 8,9 por cento na comparação anual, a 865 milhões de reais, em ritmo mais lento que o aumento das despesas operacionais, que cresceram 22,2 por cento, a 287,8 milhões de reais.

Em entrevista à Reuters, o presidente da companhia, Márcio Utsch, atribuiu a subida dos custos à concentração de gastos em seis projetos estratégicos, voltados à áreas como tecnologia da informação, logística e estudo de marca. Ele admitiu que o cenário é mais desafiador em 2013, com o consumidor gastando menos que no ano passado.

O aumento da receita líquida ocorreu a despeito da queda de 5,6 por cento no volume de vendas no Brasil, maior mercado da Alpargatas. No período, foram comercializados 53,6 milhões de unidades de calçados, roupas e acessários.

A Alpargatas atribuiu o fato ao aumento do volume de calçados esportivos, que possuem valor mais alto, e à elevação no preço médio tanto nessa categoria quanto em sandálias, ocasionado pela procura por produtos mais caros.

Principal marca da empresa, a Havaianas viu o volume de vendas recuar 4,9 por cento no país, quando os modelos mais sofisticados passaram a responder por 53 por cento dos pares vendidos, ante 45 por cento no mesmo trimestre de 2012.

Segundo o diretor financeiro da Alpargatas, José Roberto Lettiere, a queda no volume de Havaianas refletiu dificuldade em atender a demanda, já que a fábrica em Campina Grande (PB) teve a capacidade reduzida em função da procura por sandálias mais caras, que consomem mais horas de fabricação.

Com a entrada em operação da nova fábrica em Montes Claros, disse Lettiere, deverá haver crescimento do volume no mercado interno e normalização do atendimento. A unidade ampliará a capacidade produtiva da Havaianas em 40 por cento ao ano.   Continuação...