Inflação na China tem pico e levanta temor de aperto de crédito

sábado, 9 de novembro de 2013 12:41 BRST
 

Por Xiaoyi Shao e Kevin Yao

PEQUIM, 9 Nov (Reuters) - A inflação anual da China atingiu recorde de 3,2 por cento em oito meses em outubro, com disparada dos preços dos alimentos, espalhando temor em relação à política de aperto de crédito, enquanto a produção industrial e dados de investimentos deram sinais de estabilização.

A inflação, que aumentou ligeiramente de 3,1 por cento em setembro, ainda estava abaixo da previsão mediana de 3,3 por cento em uma pesquisa da Reuters e ficou abaixo da meta oficial de 3,5 por cento para 2013.

“Embora a inflação do índice de preços ao consumidor tenha sido empurrada pela demanda sazonal de alimentos, ela pode alimentar a preocupação do mercado de que o banco central poderá aumentar o aperto da política monetária, disse Li Huiyong, um economista da Shenyin & Wanguo Securities.

O Banco Popular da China se recusou a injetar liquidez nos mercados monetários durante as operações normais do mercado aberto na quinta-feira, gerando preocupação de que vai começar nova rodada de aperto nos próximos meses, disseram operadores.

Dados divulgados na sexta-feira mostram que as exportações se recuperaram mais do que o esperado em outubro.

Mas poucos analistas acreditam que o banco central vai se apressar em apertar a política em meio às incertezas globais persistentes. O Banco Popular da China disse que vai manter a política prudente com ajustes finos, para manter a economia em equilíbrio, enquanto afasta riscos inflacionários.

O Escritório Nacional de Estatística disse que os preços dos alimentos subiram 6,5 por cento em outubro, em comparação ao ano anterior, acelerando de 6,1 por cento em setembro.

Os preços do produtor da China tiveram queda de 1,5 por cento em relação a outubro de 2012, o 20º mês seguido de baixa, ante queda de 1,3 por cento no mês anterior.   Continuação...