12 de Novembro de 2013 / às 15:43 / 4 anos atrás

Petrobras inicia produção no campo de Papa-Terra

Pessoas passam na frente do prédio da Universidade Petrobras no Rio de Janeiro, em 9 de outubro de 2012. A Petrobras informou nesta terça-feira que iniciou na véspera a produção do campo de Papa-Terra, localizado ao sul da Bacia de Campos, por meio da plataforma P-63, conectada ao poço PPT-12. REUTERS/Ricardo Moraes (BRAZIL - Tags: EDUCATION ENERGY) - RTR3AXWK

SÃO PAULO, 12 Nov (Reuters) - A Petrobras informou nesta terça-feira que iniciou na véspera a produção do campo de Papa-Terra, localizado ao sul da Bacia de Campos, por meio da plataforma P-63, conectada ao poço PPT-12.

A plataforma, do tipo FPSO (unidade flutuante que produz, armazena e transfere petróleo), tem capacidade para processar diariamente 140 mil barris de óleo e 1 milhão de metros cúbicos de gás.

A unidade, que compõe o primeiro sistema de produção de Papa-Terra, faz parte do conjunto de projetos programados para iniciar atividades este ano, com vistas a elevar a extração da empresa de forma mais expressiva a partir do ano que vem.

A estatal prevê produzir 2,75 milhões de barris de petróleo até 2017, contra pouco menos de 2 milhões atualmente no país.

Além do FPSO P-63, ao qual serão interligados cinco poços produtores e 11 injetores, será instalada em Papa-Terra a plataforma P-61, a primeira plataforma do tipo TLWP (Tension Leg Wellhead Plataform) a operar no Brasil, que será deslocada para a locação ainda neste mês e à qual serão interligados 13 poços produtores, informou a Petrobras.

Os poços da P-63 serão conectados por dutos flexíveis submarinos com aquecimento elétrico conhecidos por IPB (Integrated Production Bundle) e os da P-61 através de completação seca (válvulas de controle do poço na plataforma em vez de no fundo do mar). Todos os 18 poços de produção do campo contam com a instalação de bombas centrífugas submersas. A produção da P-61 será transferida em fluxo multifásico para o FPSO P-63.

“A combinação de reservatórios com óleo de grau API variando entre 14 e 17 (mais pesado), e em lâminas d´água profundas, faz o desenvolvimento do campo de Papa-Terra um dos projetos mais complexos já concebidos pela Petrobras, requerendo a incorporação de diversas soluções inovadoras”, disse a estatal em nota.

O projeto é operado pela Petrobras (62,5 por cento) em parceria com a Chevron (37,5 por cento). O campo de Papa-Terra está localizado a 110 km da costa brasileira, em lâmina d‘água que varia de 400 a 1.400 metros.

Por Gustavo Bonato e Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below