Produção de petróleo da Opep permanece mais alta que demanda para 2014

terça-feira, 12 de novembro de 2013 16:14 BRST
 

LONDRES, 12 Nov (Reuters) - A produção de petróleo dos países da Opep permanece superior à demanda global pelo produto do grupo estimada para o próximo ano, disse o cartel exportador nesta terça-feira, mesmo depois de a Arábia Saudita ter cortado sua extração que chegou a atingir um nível recorde.

O relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo reforça os sinais de que o aumento da oferta nos Estados Unidos, vivendo um boom do petróleo de xisto, e em outros países de fora da Opep vão afetar a participação de mercado da Opep em 2014.

A Opep prevê que a demanda por seu petróleo em 2014 será, em média, de 29,57 milhões de barris por dia (bpd), inalterada ante a estimativa anterior. O grupo bombeou 29,89 milhões de bpd em outubro, de acordo com fontes secundárias citadas pelo relatório.

Isso sugere que os estoques vão crescer ainda mais em 2014 se o grupo mantiver a taxa de produção de outubro, embora a quantidade do excedente de oferta tenha caído ante o início deste ano, quando a produção da Opep estava bem acima de 30 milhões de bpd.

As reservas de petróleo nos países desenvolvidos que são membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e as nações emergentes mostram que os consumidores já têm petróleo suficiente, disse a Opep.

Este é o último relatório antes de a Opep reunir-se em 4 de dezembro para decidir se vai mudar sua meta de produção nominal de 30 milhões de bpd. Com os preços do petróleo acima do nível desejado pela organização, 100 dólares por barril, não são esperadas grandes mudanças na política.

Enquanto a produção subiu na Líbia e no Iraque em outubro, a Arábia Saudita --maior exportador mundial-- disse à Opep que reduziu a produção para 9,75 milhões de barris por dia ante um volume recorde acima de 10 milhões de bpd. Fontes da indústria disseram que a redução refletiu, principalmente, diminuição da demanda doméstica.

Dois outros relatórios governamentais sobre a oferta mundial de petróleo e demanda são esperados esta semana. A Administração de Informações de Energia dos Estados Unidos deve divulgar o seu relatório na quarta-feira, e a Agência Internacional de Energia, que aconselha os países industrializados, divulgará na quinta-feira.

(Reportagem de Alex Lawler)