Protestos violentos fecham fábricas de vestuário em Bangladesh

quarta-feira, 13 de novembro de 2013 12:28 BRST
 

DACA, 13 Nov (Reuters) - Protestos violentos fecharam cerca de 250 fábricas de vestuário em Bangladesh, perto da capital Daca, nesta quarta-feira, quando milhares de trabalhadores protestaram exigindo salários mais altos nas empresas que fornecem roupas baratas para varejistas como Wal-Mart.

Trabalhadores em greve entraram em confronto com a polícia pelo terceiro dia consecutivo, causando cerca de 100 feridos. A polícia revidou, disparando balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo.

"Fomos obrigados a fechar todas as fábricas de vestuário em Ashulia temendo mais vandalismo, e também por razões de segurança, após os distúrbios dos últimos dias", disse Mohammad Atiqul Islam, presidente da Associação de Fabricantes e Exportadores de Vestuário de Bangladesh.

Existem cerca de 250 fábricas no distrito industrial de Ashulia, que fornecem mercadorias para a maioria das principais marcas ocidentais, incluindo Walmart, H&M, Gap e Eagle, disseram autoridades de negócios.

Os trabalhadores das fábricas exigem que o salário mínimo seja aumentado para 8.000 takas (103 dólares) das atuais 3.000 takas (38 dólares).

(Reportagem de Serajul Quadir)

 
Trabalhadores do seor têxtil participam de protesto por melhores salários em Gazipur, Bangladesh. Protestos violentos fecharam cerca de 250 fábricas de vestuário em Bangladesh, perto da capital Daca, nesta quarta-feira, quando milhares de trabalhadores protestaram exigindo salários mais altos nas empresas que fornecem roupas baratas para varejistas como Wal-Mart. 13/11/2013. REUTERS/Stringer