ENTREVISTA-Job prevê recuperação dos preços do açúcar em 2014/15

quarta-feira, 13 de novembro de 2013 17:21 BRST
 

Por Fabíola Gomes

SÃO PAULO, 13 Nov (Reuters) - Os preços do açúcar bruto no mercado internacional, que atingiram uma mínima de três anos neste ano, devem se recuperar na próxima temporada, em meio à demanda sustentada e pela perspectiva de redução do excedente no mundo, com um crescimento menor da moagem de cana no Brasil, maior produtor global.

"O fundo do poço já passou, os 16 centavos (por libra-peso) não voltam mais", disse o sócio-diretor da Job Economia, Julio Borges, em entrevista à Reuters.

Ele atribui esse movimento ao crescimento constante da demanda global por açúcar, em torno de 3 a 4 milhões de toneladas ao ano, enquanto a redução dos estoques globais tende a reduzir seu peso sobre as cotações do produto no mercado internacional.

O excedente global de açúcar é visto em 4,45 milhões de toneladas em 2013/14, menos da metade do ciclo anterior, em meio à expectativa de consumo maior, segundo a consultoria Kingsman.

Os preços do açúcar atingiram mínimas de três anos em meados do ano, pressionados pela perspectiva de uma safra recorde no Brasil, mas voltaram a se recuperar, com o primeiro vencimento operando atualmente perto de 18 centavos de dólar por libra-peso.

Outro fator que limita quedas do preço do açúcar é o etanol, lembrou o consultor.

"Esta safra trouxe uma lição para o mundo: o Brasil não precisa vender açúcar barato, porque tem o etanol. Isso dá suporte ao preço externo", disse.

O centro-sul do Brasil, região que responde por 90 por cento da safra de cana do país, deve moer entre 50 e 60 milhões de toneladas a mais nesta temporada ante o ciclo anterior, mas praticamente todo este volume está sendo destinado à produção de etanol.   Continuação...