Dólar fica praticamente estável ante real atento à rolagem do BC

quarta-feira, 13 de novembro de 2013 17:25 BRST
 

Por Marília Carrera e Bruno Federowski

SÃO PAULO, 13 Nov (Reuters) - O dólar fechou praticamente estável ante o real nesta quarta-feira, após registrar queda durante a maior parte do pregão, de olho na estratégia do Banco Central com os leilões de rolagem de swap cambial tradicional e na expectativa sobre o futuro da política monetária dos Estados Unidos.

A moeda norte-americana teve oscilação positiva de 0,04 por cento, cotada a 2,3349 reais na venda. O dólar futuro para entrega em dezembro também tinha variação positiva de 0,06 por cento, às 17h11 (horário de Brasília). Segundo dados da BM&F, o volume de negociação ficou em 1,09 bilhão de dólares.

As atenções estão voltadas para a estratégia de rolagem dos 10,110 bilhões de dólares contratos de swap cambial tradicional que vencem em 2 dezembro. Nesta sessão, o BC realizou a segunda etapa desse processo, vendendo 20 mil swaps com vencimento em 1º agosto de 2014.

Na terça-feira, o BC deu início ao processo de rolagem, também vendendo a oferta total de 20 mil swaps. Com as duas operações, a autoridade monetária já rolou cerca de 20 por cento dos 10,110 bilhões de dólares em swaps que vencem em 2 de dezembro.

Já no leilão diário previsto pelo cronograma de intervenções desta manhã, o BC vendeu 10 mil contratos com vencimento em 2 de junho de 2014, e volume financeiro equivalente a 496 milhões de dólares.

A alta do dólar na semana passada, quando variou 2,71 por cento, ocorreu mesmo com o país registrando entrada líquida de divisas. No período, o saldo ficou positivo em 1,914 bilhão de dólares, enquanto o resultado para o acumulado do mês era de superávit de 2,574 bilhões de dólares.

O movimento de valorização tem sido estimulado pela expectativa de que o Fed reduza em breve seu estímulo monetário, reduzindo a oferta global de liquidez. Nesse contexto, as intervenções do BC têm servido para dar algum alívio às cotações.

Nesta sessão, no entanto, o real teve um desempenho abaixo do de outras moedas com perfil similar, o peso mexicano e o dólar australiano, por exemplo, tiveram valorização um pouco mais expressiva em relação ao dólar.

"O vilão que temos pela frente é o Federal Reserve e o que ele pode fazer com relação ao estímulo. É natural que qualquer notícia nesse sentido faça grande movimento no mercado", disse o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

Investidores aguardam possíveis indicações do chairman do banco central dos Estados Unidos, Ben Bernanke, sobre o futuro da política monetária do país, uma vez que ele participa de evento na noite desta quarta-feira.