Lucro da Rossi despenca quase 90% no 3o trimestre

quinta-feira, 14 de novembro de 2013 08:48 BRST
 

SÃO PAULO, 14 Nov (Reuters) - A construtora Rossi divulgou no final da quarta-feira um lucro líquido de 2 milhões de reais para o terceiro trimestre deste ano, recuo de cerca de 89 por cento sobre o mesmo período do ano passado, em meio a uma queda na disponibilidade de caixa.

A empresa registrou um recuo de 10 por cento nas disponibilidades financeiras, na comparação anual, para 1,05 bilhão de reais.

"O volume de repasses no mês de agosto foi o recorde histórico da empresa, porém a entrada de caixa ficou abaixo do esperado em função de atrasos na liberação de habite-se de alguns empreendimentos e a greve prolongada dos bancos ao longo de setembro e início de outubro", informou a empresa na divulgação dos resultados.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 58 milhões de reais, alta de 6 por cento sobre o terceiro trimestre de 2012. Em termos ajustados, o Ebitda teve alta de 16 por cento no período, para 136 milhões de reais.

A média de seis previsões de analistas apurada pela Reuters apontava para Ebitda ajustado de 128,8 milhões de reais para a Rossi no terceiro trimestre. Não houve consenso sobre o resultado líquido da empresa.

A receita operacional líquida da empresa avançou 2 por cento, para 736 milhões de reais. O custo dos imóveis e serviços subiu 7,7 por cento, a 602,3 milhões de reais, e as despesas operacionais somaram 77,4 milhões, recuo de 32,6 por cento.

Entre os dados operacionais, a Rossi registrou um valor geral de vendas (VGV) total lançado de 706 milhões de reais entre julho e setembro, queda de 14 por cento na comparação anual. A unidades brutas vendidas caíram 8 por cento na mesma base de comparação, para 2.725.

"Os volumes de rescisões diminuíram drasticamente nos últimos 12 meses em função do saneamento da carteira realizado no ano passado, e esperamos um nível bem inferior ao final de 2013 quando comparado a 2012", informou a companhia no balanço.

A dívida líquida da Rossi teve alta de 2 por cento na mesma base de comparação, para 2,958 bilhões de reais.

(Por Roberta Vilas Boas, edição Alberto Alerigi Jr.)