Com contração na França, recuperação da zona do euro quase cessa

quinta-feira, 14 de novembro de 2013 11:10 BRST
 

Por Leigh Thomas e Martin Santa

BRUXELAS/PARIS, 14 Nov (Reuters) - A economia da zona do euro quase estagnou no terceiro trimestre em meio à frustração com a recuperação na França e à expansão mais lenta na Alemanha.

A economia do bloco havia saído de sua mais longa recessão no trimestre anterior, mas o desemprego recorde e a falta de confiança do consumidor e do mercado continuam sufocando uma recuperação mais sólida.

Nos três meses até setembro, a economia combinada dos 17 países que compartilham o euro avançou 0,1 por cento, ritmo mais lento que o esperado. No trimestre anterior, a economia havia crescido 0,3 por cento, a primeira expansão em 18 meses.

A economia da França encolheu 0,1 por cento na comparação trimestral, ofuscando os sinais de recuperação de crescimento robusto nos três meses anteriores. A expectativa era de que registrasse crescimento trimestral de 0,1 por cento e agora já contraiu em três dos últimos quatro trimestres.

O crescimento da Alemanha desacelerou para 0,3 por cento, ante 0,7 por cento no segundo trimestre, mas a maior economia da Europa claramente continua em condição muito melhor. Seu desempenho correspondeu às estimativas.

A França está se tornando um foco de preocupação dentro da zona do euro. O Banco da França, banco central do país, prevê que a economia irá crescer 0,4 por cento no último trimestre do ano, mas as reformas trabalhistas e nas pensões do governo são vistas amplamente como muito tímidas.

"Foi particularmente desapontador ver a França sofrer queda de 0,1 por cento na comparação trimestral do PIB, o que destaca a preocupação com a sua competitividade", disse o economista da IHS Global Insight, Howard Archer.

Relatório sobre a competitividade da França divulgado pela Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede em Paris, alertou que o país está ficando atrás dos países europeus do sul da Europa que têm reduzido os custos trabalhistas.   Continuação...

 
Notas de euro são colocados em um gráfico de moeda em fotografia tirada em Zenica, na Bósnia e Herzegovina. A economia da zona do euro quase estagnou no terceiro trimestre em meio à frustração com a recuperação na França e à expansão mais lenta na Alemanha. 22/01/2011. REUTERS/Dado Ruvic