Após poços secos, prejuízo da HRT cresce 417% no 3o tri

quinta-feira, 14 de novembro de 2013 13:02 BRST
 

SÃO PAULO, 14 Nov (Reuters) - A petroleira HRT teve prejuízo líquido de 724,2 milhões de reais no terceiro trimestre do ano, contra prejuízo de 140,2 milhões no mesmo período de 2012, registrando o impacto de poços secos na Namíbia e no Solimões.

O prejuízo cresceu 417 por cento na comparação anual.

Entre as despesas operacionais no último trimestre, a companhia teve 133,9 milhões de reais para a baixa de poços secos e 616,2 milhões de reais relativos a "impairment" (ajuste contábil) sobre os bônus de subscrição para esses ativos.

Ao longo do ano, a companhia anunciou que três poços perfurados na Namíbia foram considerados secos ou sem volumes comerciais.

A companhia apurou geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) negativa em 817,7 milhões de reais no último período, contra Ebitda negativo de 152,1 milhões de reais no mesmo trimestre do ano passado.

O Ebitda para os nove meses do ano de 2013 foi negativo em 1,478 bilhão de reais.

REDUÇÃO DE CUSTOS

Diante dos resultados, a HRT informou que deu continuidade, no terceiro trimestre, "às iniciativas corporativas com o intuito de ajustar a HRT ao tamanho apropriado ('rightsizing')".

"Continuamos concentrando nossos esforços na adequação da Companhia de forma a torná-la mais enxuta, mais eficiente e menos onerosa", afirmou.   Continuação...