14 de Novembro de 2013 / às 16:28 / 4 anos atrás

Vendas fortes ajudam B2W a reduzir prejuízo; ações avançam

SÃO PAULO, 14 Nov (Reuters) - As ações da varejista online B2W figuravam entre as maiores altas do Ibovespa nesta quinta-feira, avançando quase 9 por cento, após a companhia mostrar redução no prejuízo trimestral e melhora nas margens operacionais, ajudada pelo aumento das vendas no período.

Na noite de quarta-feira, a companhia havia divulgado recuo de 14,6 por cento no prejuízo do terceiro trimestre sobre igual período de 2012, com perdas líquidas de 38,6 milhões de reais.

A cifra veio abaixo do prejuízo de 44,5 milhões de reais esperado, em média, por analistas em pesquisa da Reuters.

Fruto da fusão entre a Americanas.com e Submarino, a companhia viu a receita líquida subir 22,4 por cento na comparação anual, para 1,5 bilhão de reais.

Como o custo dos produtos avançou em ritmo ligeiramente menor, a companhia elevou a margem bruta em 0,9 ponto percentual no ano a ano, para 24,7 por cento.

O avanço ajudou a B2W a melhorar os resultados operacionais, a despeito do aumento expressivo nas despesas com vendas, que subiram quase 30 por cento na comparação anual, a 240,2 milhões de reais.

No terceiro trimestre, a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado subiu 30 por cento sobre um ano antes, a 107,1 milhões de reais, acima da expectativa média de analistas de 96,2 milhões de reais.

Em relatório, o BTG Pactual disse enxergar perspectivas mais positivas para a empresa, calcadas no progresso das vendas e na margem bruta.

“Na nossa visão, apesar de um lucro líquido ou geração de caixa serem improváveis no curto prazo, a estratégia da B2W está no caminho certo: a companhia está investindo em Tecnologia da Informação e logística e preparando sua plataforma para um crescimento muito mais rápido, com melhor serviço e experiência de compra mais agradável”, escreveu o analista Fabio Monteiro.

Juntamente com seus resultados, a companhia divulgou na quarta-feira a aquisição de duas empresas, a Ideais Tecnologia, desenvolvedora de sistemas e soluções para e-commerce, e a Tarkena, empresa de sistemas de busca e recomendação de produtos online. As investidas integram o plano de investimentos de 1 bilhão de reais entre 2013 e 2015.

Após a B2W abrir três novos centros de distribuição em outubro -- que elevaram a capacidade de armazenagem total da empresa em 60 por cento --, o desempenho de vendas deverá ser favorecido no quatro trimestre, acrescentou a corretora Planner, em relatório enviado a clientes nesta manhã.

Operando com sete centros de distribuição atualmente, a companhia reiterou a intenção de abrir no mínimo outros sete novos centros até o final de 2015.

O Credit Suisse saudou as iniciativas, afirmando que os CDs e as aquisições sinalizam a busca por melhora de serviço ao cliente, classificando os resultados trimestrais como “uma superação (das expectativas), enfim”.

Em relatório assinado pela equipe de Tobias Stingelin, o banco apontou ainda que as melhorias apresentadas pela B2W no trimestre reduzem a preocupação acerca da necessidade de injeção de capital na controladora da empresa, a Lojas Americanas.

Às 13h28, as ações da B2W subiam 8,55 por cento, a 14,22 reais. Enquanto isso, os papéis da Lojas Americanas avançavam 5,69 por cento, num momento em que o Ibovespa operava em alta de 1,73 por cento.

Por Marcela Ayres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below