Após pedidos, Airbus e Boeing assinam acordos de fornecimento no Golfo

segunda-feira, 18 de novembro de 2013 14:11 BRST
 

DUBAI, 18 Nov (Reuters) - A Airbus e a Boeing assinaram nesta segunda-feira acordos para comprar cerca de 5 bilhões de dólares em peças e materiais de Abu Dhabi, em um sinal de que os Estados da região do Golfo buscam um impulso recíproco às suas economias em contrapartida aos enormes pedidos feitos às fabricantes de aeronaves.

As companhias aéreas do Golfo, lideradas pela Emirates, de Dubai, e a Etihad, de Abu Dhabi, fecharam acordos de aeronaves no valor de cerca de 150 bilhões de dólares --ou mais, incluindo opções-- no primeiro dia do Dubai Airshow, no domingo.

O ímpeto de compras indica uma mudança de poder na indústria da aviação, conforme as economias do Golfo, ricas em petróleo e em rápido crescimento, aproveitam sua posição estratégica entre o ocidente e o oriente para captar mais viajantes de outros pontos de conexão na Europa e na Ásia.

A Airbus fechou um novo acordo nesta segunda-feira com o fundo de investimento estatal Mubadala , de Abu Dhabi, para expandir a parceria "para a produção de aeroestruturas metálicas e compostos nos Emirados Árabes Unidos, além da aquisição de matérias-primas para compostos, no valor de 2,5 bilhões de dólares", afirmou o Mubadala.

A Reuters havia informado no domingo que as duas partes estavam perto de um acordo.

Separadamente, a Boeing disse que também havia assinado um novo contrato com a Mubadala para o fornecimento, por Abu Dhabi, de até 2,5 bilhões de dólares em compostos avançados e peças metálicas para a fabricante norte-americana de aviões.

(Por Rania El Gamal, Praveen Menon e Tim Hepher)

RF MA

 
O Xeique Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente do conselho da Emirates Airlines, apertas as mãos de Ray Conner, presidente-executivo da Boeing Commercial Airplanes, durante o Dubai Airshow. A Airbus e a Boeing assinaram nesta segunda-feira acordos para comprar cerca de 5 bilhões de dólares em peças e materiais de Abu Dhabi, em um sinal de que os Estados da região do Golfo buscam um impulso recíproco às suas economias em contrapartida aos enormes pedidos feitos às fabricantes de aeronaves. 18/11/2013 REUTERS/Caren Firouz