OCDE vê aceleração do crescimento da China em 2014 e pede reformas

terça-feira, 19 de novembro de 2013 08:46 BRST
 

PEQUIM, 19 Nov (Reuters) - O crescimento econômico anual da China deve acelerar para 8,2 por cento em 2014 ante expectativa de 7,7 por cento este ano, impulsionado pela demanda doméstica mais forte, disse a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), nesta terça-feira.

"O crescimento está acelerando e a inflação continua baixa, a demanda doméstica tem levado a uma mudança", disse a OCDE em seu último relatório sobre a perspectiva da economia global.

A perspectiva da OCDE foi melhor que uma pesquisa recente da Reuters, que mostrou que o crescimento econômico da China pode desacelerar para 7,4 por cento em 2014 ante expectativa de 7,6 por cento este ano --taxa mais fraca em 14 anos.

O governo visa a um crescimento de 7,5 por cento em 2013.

O OCDE destacou a necessidade de Pequim acelerar as reformas estruturais em favor de um consumo doméstico mais forte, uma vez que a expansão econômica ainda depende fortemente de investimentos.

"Com a economia se recuperando, há agora uma janela favorável para avançar com reformas estruturais, em particular a liberalização financeira, encorajando a mobilidade do trabalho e a reforma tributária", disse a OCDE.

Na semana passada, líderes da China se comprometeram a fazer o mais ousado conjunto de reformas econômicas e sociais em quase três décadas, com o objetivo de colocar a segunda maior economia do mundo em uma plataforma mais estável.

As reformas da China podem eventualmente sustentar o crescimento econômico, mas certas reformas podem ter algum impacto negativo no curto prazo sobre a economia, disse a OCDE, sem dar mais detalhes.

(Reportagem de Kevin Yao)