Cesp considera adequados preço no leilão A-1, avalia participar

terça-feira, 19 de novembro de 2013 14:31 BRST
 

SÃO PAULO, 19 Nov (Reuters) - A Cesp considera os preços de energia definidos para o leilão de energia existente A-1 como "adequados", mas ainda não decidiu se ofertará energia na competição, segundo executivos da empresa.

"O leilão é interessante para a situação específica da Cesp. Nós temos produtos para 18 meses, o ano de 2014 e o primeiro semestre de 2015. Os preços, parece também que são adequados. É só a questão de estudarmos a decisão, se vamos participar", disse o diretor financeiro, Almir Martins, em teleconferência sobre resultados trimestrais nesta terça-feira.

A empresa tem cerca de 1 mil megawatts (MW) médios de energia disponível para venda em 2014 e primeiro semestre de 2015, segundo o executivo.

O leilão de energia existente A-1, marcado para 17 de dezembro, contratará energia para suprir a necessidade das distribuidoras, que precisarão contratar até 6.300 megawatts (MW) médios de energia ao final do ano.

Neste ano, leilões de energia existente para contratação de curto prazo pelas distribuidoras não tiveram oferta das geradoras. Essas empresas avaliavam que o preço de curto prazo (PLD), alto pelo forte acionamento de térmicas, tornava o preço nos leilões menos atrativo.

"O déficit no mercado regulado é muito grande, as possibilidades de oferta estão restritas, as empresas que aderiram ao novo modelo (de renovação das concessões) não têm energia, porque a energia foi transformada em cotas (para o mercado regulado). Evidentemente, a Cesp talvez seja aquela que tem a maior possibilidade (de ofertar energia), em termos de quantidade", disse o presidente da Cesp, Mauro Arce.

O leilão A-1 terá três produtos para venda de energia, em três períodos --1 ano, 1 ano e seis meses, e 3 anos.

O preço-teto de venda de energia para o produto de 2014 é de 192 reais por megawatt-hora (MWh). O produto de 2014 a junho de 2015 terá energia com preço inicial de 166 reais por MWh. Já para o período de três anos de suprimento, com término em 2016, o preço máximo deve ser de 150 reais por MWh.

"Comparado aos preços de PLD de hoje, os preços de PLD são muito maiores. Mas pensando no período de um ano, um ano e meio, os preços são bastante razoáveis", disse o executivo.

A decisão sobre participação no leilão vai depender ainda do que acontecerá com os reservatórios das hidrelétricas até o início de dezembro, períodos mais chuvoso, para que a Cesp tenha uma melhor perspectiva sobre o Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) de 2014.

O PLD é calculado semanalmente pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e referencia a formação de preços de energia em contratos de curto prazo. Seu cálculo depende de fatores como a condição dos reservatórios das hidrelétricas do país e do acionamento de usinas térmicas. (Por Anna Flávia Rochas)