Preço em queda não intimida petroleiras em área gigante de xisto nos EUA

quinta-feira, 21 de novembro de 2013 15:06 BRST
 

NOVA YORK, 21 Nov (Reuters) - Os preços do petróleo da Dakota do Norte despencaram neste mês para abaixo do nível de 80 dólares por barril, considerado patamar ideal para estimular as petroleiras a atrair capital de outras áreas de xisto, mas ainda assim o boom da área de Bakken não mostra sinais de desaceleração.

Apesar das cotações terem caído para seu nível mais baixo em mais de um ano, a produção segue avançando, apoiada em uma queda de custos operacionais, tecnologias de perfuração cada vez mais eficientes, maiores estimativas de reservas e agressivos programas de "hedge" futuro. Especialistas dizem que a marca de 1 milhão de barris por dia (bpd) provavelmente será alcançado no início do próximo ano.

Os preços locais à vista, que caíram cerca de 25 dólares por barril nos últimos dois meses, teriam que sofrer uma queda sustentada para 70 dólares por barril ou menos para comprometer os gastos a curto prazo, disseram analistas, mas essa hipótese é considera improvável no momento.

"Há apenas um Bakken. É a descoberta de óleo mais importante dos últimos 50 anos", disse Harold Hamm, fundador do Continental Resources, no início deste mês.

Ao contrário do desenvolvimento convencional do petróleo, o xisto funciona mais como uma linha de produção, com perfurações diárias sendo necessárias para compensar a queda de produção em poços recentemente concluídos. Isto exige avaliações mais frequentes de viabilidade comercial.

(Reportagem de Sabina Zawadzki)