Demanda doméstica impulsiona crescimento da Alemanha no 3º tri

sexta-feira, 22 de novembro de 2013 07:57 BRST
 

Por Michelle Martin

BERLIM, 22 Nov (Reuters) - Uma forte alta na demanda doméstica ofuscou a fraqueza das exportações para garantir uma expansão de 0,3 por cento da economia da Alemanha no terceiro trimestre, dando munição ao governo em seu confronto com Bruxelas devido aos desequilíbrios comerciais na zona do euro.

A Comissão Europeia está investigando o superávit de conta corrente persistentemente alto da Alemanha em meio a críticas de que o país conta demais com as exportações, embora os detalhes sobre o crescimento nesta sexta-feira tenham mostrado que o comércio líquido abateu 0,4 ponto percentual do crescimento no terceiro trimestre.

"Com os dados de hoje, as últimas críticas sobre o modelo de crescimento alemão parecem um pouco chorar sobre o leite derramado", disse Carsten Brzeski, economista sênior do ING.

A demanda doméstica foi o principal condutor do crescimento, subindo 0,7 por cento no trimestre. O investimento, que começou o ano de forma lenta, avançou robustos 3 por cento, impulsionado por um forte aumento na construção.

O consumo privado acrescentou 0,1 ponto percentual ao PIB. O robusto mercado de trabalho, inflação moderada e fortes aumentos salariais ajudaram os gastos das famílias na Alemanha.

Berlim conta com a demanda doméstica para impulsionar o crescimento neste ano uma vez que a economia tradicionalmente exportadora sofre com o enfraquecimento da demanda de seus parceiros na zona do euro e uma desaceleração nos mercados emergentes.

O governo espera crescimento de 0,5 por cento neste ano e de 1,7 por cento no próximo.