Diretor da OMC diz esperar acordo para reforma comercial em dias

sexta-feira, 22 de novembro de 2013 11:00 BRST
 

GENEBRA, 22 Nov (Reuters) - A Organização Mundial do Comércio (OMC) pode fechar seu primeiro pacote de reforma comercial mundial antes do final do fim de semana, afirmou o diretor-geral, Roberto Azevêdo, à Reuters nesta sexta-feira.

Questionado se um acordo pode ser alcançado até domingo à noite, Azevêdo afirmou: "espero que sim".

Ele fez a declaração ao entrar em uma sessão que pode ser uma das últimas rodadas de negociações do período de 12 anos durante o qual a OMC tenta alcançar um acordo. Foram 10 semanas de conversas intensas durante as quais Azevêdo coordenou os trabalhos, após assumir a liderança da organização em setembro.

O acordo deve aprimorar os procedimentos de alfândega ao redor do planeta, tornando o processo de cruzar fronteiras mais previsível e transparente. Estudos do Banco Mundial e da OCDE disseram que as medidas poderiam injetar centenas de bilhões de dólares na economia mundial.

A negociação também inclui mudanças nas regras sobre agricultura e tratamento especial para os países mais pobres.

Azevêdo forçou uma maratona de negociações para tentar alcançar um acordo antes da reunião de ministros da OMC em Bali na primeira semana de dezembro.

Diplomatas dizem que se os 159 países-membro da organização alcançarem um acordo sobre um texto nestes encontros em Genebra, os ministros deverão apenas chancelar as medidas em Bali, com poucas chances de reabertura das negociações.

Um acordo em Bali recuperaria a confiança na OMC depois que sua credibilidade foi abalada na última década em função da morte lenta da Rodada de Doha, que cedeu espaço para o pacote mais modesto de reformas agora em discussão.

A reunião em Genebra deveria terminar na quinta-feira, mas foi adiada para dar prosseguimento às negociações do pacote de reformas. Azevêdo disse que não sabia se conseguiria convocar reuniões para o fim de semana.

(Reportagem de Tom Miles)